ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, DOMINGO  14    CAMPO GRANDE 23º

Política

MPE investiga suposta venda de área do Parque Assaf Trad a particulares

Zemil Rocha | 20/07/2013 10:44

O Ministério Público Estadual (MPE) está investigando suposta venda a particulares de área doada ao Município de Campo Grande pela empresa Lago Azul Empreendimentos Imobiliários Ltda para a implantação do Parque Assaf Trad no loteamento “Alphaville Campo Grande”. Nos autos do Inquérito Civil nº 02/2013/Hurb, a promotora Andréia Cristina Peres da Silva já notificou o prefeito Alcides Bernal e o representante legal da Alphaville Urbanismo S/A a prestar esclarecimentos.

Em relação ao pedido de explicações sobre o porquê de a soma das áreas efetivamente doadas para a criação do Parque Assaf Trad ter sido menor do que o pactuado no TAC firmado, foi acostado aos autos o termo aditivo ao TAC, alterando sua cláusula primeira, a qual dispõe sobre seu objeto (f.111/112). Porém, não se têm informações acerca dos fundamentos que ensejaram essa alteração, segundo a promotora.

“Conforme o TAC, os imóveis que compõem o Parque estão descritos nas matrículas 217.485, 213.904 e 213.905, da 1ª Circunscrição Imobiliária. Já segundo o Decreto de criação do Parque, os imóveis estão descritos nas matrículas 213.903 e 213.905 e não há menção à origem dos imóveis que o integram”, relata Andréia Cristina, ao instaurar o inquérito.

Quanto ao pedido de informação sobre a existência de equipamentos públicos comunitários suficientes para atender à população do entorno, conforme a promotora, a municipalidade, representada pelo Departamento de Cadastro Imobiliário e de Cartografia, enviou planta indicando o que vem sendo feito, porém, não se manifestou acerca da suficiência desses equipamentos, informando que “quanto à demanda deverá ser consultado as secretarias afins”. A municipalidade, representada pelo mesmo Departamento, também informou que “não consta arquivado neste setor cópia do anteprojeto das obras executadas pela empresa Alphaville Urbanismo S.A.”

Diante desses fatos, a promotora Andréia Cristina oficiou a Municipalidade e notificou os empreendedores para informar quais fundamentos embasaram a diminuição da área a ser doada para a criação do Parque Assaf Trad.
Ainda, em relação ao Termo de Ajustamento de Conduta, tem-se que o Parque Cônsul Assaf Trad estava fechado ao público. A representante do Ministério Público determinou ao prefeito Alcides Bernal que informe a demanda de equipamentos públicos comunitários necessária para atender à população do entorno, em observância ao disposto na Lei 6766/79, em seu artigo 4º, inciso I, bem como, para que apresente cópia do anteprojeto das obras executadas pela empresa Alphaville Urbanismo S.A., encaminhando as diligências à secretaria competente.

“Com o objetivo de instruir os autos de INQUÉRITO CIVIL Nº 02/2013/HURB, que apura eventual irregularidade havida no empreendimento “Alphaville Campo Grande” em face do relato de que área doada ao município está sendo vendida a particulares, REQUISITO, com espeque no artigo 129, inciso VI da Constituição Federal e artigo 8º, §1º da Lei 7347/85, que no prazo de 10 (dez) dias úteis, informe e comprove se houve venda de áreas integrantes do Parque Assaf Trad, bem como fiscalize o local, informando a esta Promotoria de Justiça, as medidas tomadas neste sentido, com base em seu Poder de Polícia”, determinou a promotora no ofício enviado ao prefeito Alcides Bernal.

Também foi notificado o representante legal da Alphaville Urbanismo S.A. para que informe a atual situação do Parque, apresentando as razões pelas quais ele permaneceu fechado, e para que comprove o cumprimento da cláusula 2ª, 2.2. do TAC firmado com a Municipalidade.

Nos siga no Google Notícias