ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, QUARTA  17    CAMPO GRANDE 22º

Política

Nelsinho é excluído de ação de irregularidade em obras quando era prefeito

Processo de improbidade administrativa cobra R$ 369 mil de danos ao erário e tramita desde 2017

Gabriela Couto | 16/09/2022 10:46
Senador Nelsinho Trad (PSD) usando a tribuna do Senado Federal. (Foto: Divulgação)
Senador Nelsinho Trad (PSD) usando a tribuna do Senado Federal. (Foto: Divulgação)

Após cinco anos, o senador Nelsinho Trad (PSD) foi excluído da ação de irregularidade no tapa-buraco, no valor de R$ R$ 369.011.600,59. Ele estava incluso na ação civil de improbidade administrativa, após investigação da Operação Lama Asfáltica, no período em que era prefeito de Campo Grande.

A decisão do juiz da 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos, Ariovaldo Nantes Corrêa, foi publicada ontem (15). Ele acatou a defesa do senador que sempre alegou inocência no caso.

A ação civil de improbidade administrativa mira as empresas LD Construções Ltda, Asfaltec Tecnologia em Asfalto, Equipe Engenharia, Unipav Engenharia e Usimix, além de políticos e servidores municipais. A denúncia, feita em junho de 2016, é resultado de investigações feitas no âmbito da Operação Lama Asfáltica e cobra o ressarcimento de R$ 369.001.600,59.

No processo, o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) argumenta que as licitações do tapa-buraco eram para satisfazer interesses particulares com propósito de beneficiar as empresas e seus sócios. Entre os anos de 2010 e 2012, a prefeitura firmou 30 contratos para o tapa-buraco, que custaram mais de R$ 372 milhões aos cofres públicos municipais.

Nos siga no Google Notícias