ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  30    CAMPO GRANDE 

Política

No pior momento da pandemia, ministro prevê agenda em MS com centenas

Equipes de segurança de André Menonça, da Justiça e Segurança, já estão em preparação para dois dias de visita

Por Marta Ferreira | 11/03/2021 18:45
O ministro André Mendonça, que tem previsão de agenda movimentada em Mato Grosso do Sul nos dias 19 e 20, apesar dos casos de covid em alta. (Foto: Agência Brasil)
O ministro André Mendonça, que tem previsão de agenda movimentada em Mato Grosso do Sul nos dias 19 e 20, apesar dos casos de covid em alta. (Foto: Agência Brasil)

No momento mais grave da crise sanitária provocada pelas internações e mortes por covid-19, a ponto de o País ter 2,3 mil mortes em um único dia, está em programação agenda do ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, para passar dois dias em Mato Grosso do Sul, em 19 e 20 de março.

Nesse período, segundo a previsão, André Mendonça terá contato com centenas de pessoas e mobilizará equipes gigantes de segurança, ou seja, tudo que não é recomendado pelos especialistas na atual conjuntura de saúde pública.

A reportagem apurou que a programação é extensa. Na sexta-feira (19), tem inauguração de presídio e palestra no Tribunal de Justiça, em Campo Grande. No sábado, visita a Dourados e sobrevoo de helicóptero à região de fronteira com o Paraguai e ainda presença em seminário para evangélicos, em Campo Grande novamente.

Reunião realizada nesta tarde tratou da missão precursora, como são chamados levantamentos feitos antes de viagens de integrantes do alto escalão do Planalto. Segundo foi apurado, a visita do ministro exige a participação de agentes de grupos especializados, como o Batalhão de Choque da Polícia Militar, o Bope (Batalhão de Operações Especiais), responsável por fazer a varredura dos locais visitados contra atos terroristas, por exemplo. Só de policiais militares, uma visita do tipo arregimenta uma centena de servidores.

O staff do ministro é composto de pelo menos vinte pessoas. A palestra no TJMS será para poucos, em número não informado, e transmissão pela internet. Mas o evento religioso, marcado para a 1ª Igreja Batista, no Centro de Campo Grande, é para 60 participantes ao vivo.

Isso é mais do que é permitido pelo decreto baixado pelo governo do Estado, para conter o coronavírus, que é de 50 pessoas. O seminário é organizado pelo Conselho de Pastores de Mato Grosso do Sul.

O presidente do organismo, Wilton Acosta, afirmou ao Campo Grande News que o ministro foi convidado a estar presente no evento que vai discutir o futuro do país sob a perspectiva dos evangélicos. Ele diz que isso ocorreu quando a visita já estava prevista.
O governo do Estado programa a inauguração, no dia 17 de março, do presídio fechado de segurança máxima Gameleira II, com 603 vagas, ao lado da unidade já existente, compromisso que teria motivado os outros convites.

Acosta, ao ser indagado se é o momento exato para reuniões do tipo, diante dos números em alta da pandemia, disse que a situação está sendo acompanhada. “Se houver recomendação, cancelamos”, afirmou.

O Ministério da Justiça e Segurança Pública disse que ainda não tem a agenda do ministro para a data prevista. Outro colega de cúpula do governo federal de André Mendonça, o ministro do Turismo, Gilson Rocha, optou por cancelar a vinda ao Estado no dia 17 para reabertura da Gruta do Lago Azul, em Bonito, por causa da pandemia.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário