A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

06/05/2016 21:12

Novo chefe do MPE promete parecer sobre 'Coffee Break' ainda este mês

Já a 'Lama Asfáltica', que bloqueou cerca de R$ 300 milhões em bens dos envolvidos, vai demorar mais

Nyelder Rodrigues e Michel Faustino
Novo Procurador-Geral de Justiça, Paulo dos Passos promete empenho para combater a corrupção (Foto: Alcides Neto)Novo Procurador-Geral de Justiça, Paulo dos Passos promete empenho para combater a corrupção (Foto: Alcides Neto)

O novo procurador-geral do MPE (Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul), Paulo Cezar dos Passos, afirmou nesta sexta-feira (6) que ainda neste mês ele irá dar um encaminhamento à operação Coffee Break, cujo inquérito já foi concluído pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) e aguarda parecer da PGJ (Procuradoria Geral de Justiça).

Passos foi empossado em cerimônia realizada nesta noite, no TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), diante de diversas autoridades, entre elas desembargadores e o governador Reinaldo Azambuja (PSDB). O inquérito foi apresentado à procuradoria no início de dezembro do ano passado, pedindo o indiciamento de oito vereadores da Capital.

"Até o fim do mês daremos um encaminhamento a essa questão relativo às investigações da operação". A Coffee Break investigou se durante a cassação do prefeito Alcides Bernal (PP) - março de 2014 - houve a compra de votos de parlamentares da Câmara Municipal. Segundo o relatório, as apurações realizadas constaram ilegalidades no processo.

Lama asfáltica - Já a questão apurada na Operação Lama Asfáltica é tida como mais complexa pelo novo procurador-geral. "Vai demorar mais um pouco", frisa Passos, que acrescenta que, até então, as ações do MPE nessa investigação já rendeu 60 inquéritos, cinco ações penais e cerca de R$ 300 milhões em bens de investigados bloqueados através de pedidos feitos à Justiça.

As investigações da Operação Lama Asfáltica foram desencadeada após abertura de inquérito pela PF (Polícia Federal), que apurou o superfaturamento em obras no Estado. Após atuação da PF e MPF (Ministério Público Federal), o MPE criou paralelamente uma força tarefa para investigar a situação em Mato Grosso do Sul.

Discursos - "Espero conduzir todas essas ações da maneira mais eficiente possível, dando a resposta a esse clamor da sociedade por melhorias e justiça no país. Essas questão envolvedo corrupção não ficarão impunes", garantiu Paulo dos Passos durante a posse, acrescentando que a atuação do órgão será rigorosa neste sentido, buscando também a modernização e aproximação com a sociedade.

Já o antecessor de Paulo, Humberto de Matos Brittes, agradeceu ao apoio obtido pelos servidores do MPE que se dedicação em prestar bons serviços durante os quatro anos em que ele esteve à frente da entidade. "Conseguimos fazer melhorias como viabilizar áreas para construir sedes em cidades como Corumbá e Aparecida do Taboado. Também atingimos o topo em transparência", relata.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions