A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

04/02/2015 15:23

Oposição blefou e não tem assinaturas para criar CPI do Tapa Buraco

Kleber Clajus
Sem força, CPI deve abrir espaço para explicações de secretário de Infraestrutura (Foto: Kleber Clajus)Sem força, CPI deve abrir espaço para explicações de secretário de Infraestrutura (Foto: Kleber Clajus)

A oposição blefou e não conseguiu as assinaturas necessárias para a criação da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) investigar o serviço de tapa-buracos, em Campo Grande. Nesta quarta-feira, só cinco vereadores assinaram o pedido de CPI, metade do mínimo necessário. Vereadores da base mobilizam a convocação do secretário de Infraestrutura, Transporte e Habitação, Valtemir Brito, para a próxima semana.

Mesmo com requerimentos prontos para abertura da CPI, Paulo Pedra (PDT) e Luiza Ribeiro (PPS) recuaram ao admitir ser “difícil” e depender “do clima” convencer outros parlamentares a investigar contratos de tapa-buraco dos últimos cinco anos. A justificativa continua sendo os R$ 16 milhões gastos mensalmente com o serviço, vídeo de tapa-buraco “fantasma” e dúvidas quanto a fiscalização das intervenções realizadas.

O “blefe” da oposição de ter mais votos, conforme Alceu Bueno (PSL), teve efeito contrário e ainda mantém vereadores em cima do muro. As dúvidas sobre uma nova CPI levaram a base a se articular para cobrar, em um primeiro momento, respostas do secretário Valtemir Brito, cuja pasta é responsável por autorizar o serviço de tapa-buraco.

“Sempre foi uma CPI virtual, mas é preciso esgotar possibilidades antes de se chegar as mais radicais. A vinda do secretário e envio de documentos torna-se suficiente, uma vez que o Ministério Público já investiga [o serviço]”, pontuou Eduardo Romero (PT do B).

Para o presidente da Casa de Leis, Mario Cesar (PMDB), encaminhar o secretário para explicar a forma como se realizam as operações tapa-buraco constitui “questão de coerência e não quer dizer que não vamos agir”. O peemedebista ressaltou ainda que os questionamentos devem servir de alerta para o prefeito Gilmar Olarte (PP), para que tenha mais cuidado com planejamento e resposta rápida para evitar novas crises.

Ficou a cargo de Edil Albuquerque (PMDB), líder do prefeito na Câmara Municipal, confirmar depoimento do secretário de Infraestrutura na próxima segunda-feira (9). A convocação ocorre a pedido da Mesa Diretora.

Chiquinho Telles (PSD), por sua vez, lança dúvida sobre os resultados do encontro.“Será que ele consegue explicar? A CPI do Calote começou assim”.



Vamos ver como vai andar,
nos sabemos quem geria no começo do contrato.
 
Vilton Vera em 04/02/2015 17:40:32
o unico jeito de ter esta cpi seria trocar a maioria desses vereadores
 
marcelo de souza ajala em 04/02/2015 17:38:22
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions