A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

05/10/2012 01:04

Oposição foca licitações e planejamento de Campo Grande em debate

Fabiano Arruda
Alcides Bernal, Reinaldo Azambuja, Edson Giroto e Vander Loubet no estúdio da TV Morena. (Fotos: Gabriel Neris)Alcides Bernal, Reinaldo Azambuja, Edson Giroto e Vander Loubet no estúdio da TV Morena. (Fotos: Gabriel Neris)

O debate da TV Morena nesta noite teve, mais uma vez, os candidatos da oposição fazendo críticas à administração de Campo Grande. Além da saúde, assunto recorrente, os processos licitatórios e o planejamento da cidade foram temas abordados nos dois blocos finais de perguntas.

Reinaldo Azambuja (PSDB) disse a Edson Giroto (PMDB) que o Plano Diretor da Capital foi mudado em função de novos empreendimentos, o que fez surgir enchentes e problemas com o asfalto. Em resposta, o peemedebista pontuou que, como secretário de Obras, iniciou o processo de remoção das favelas e que se a cidade cresce é porque teve planejamento.

No tema ordem urbana, discutido em perguntas entre Sidney Melo (PSOL) e Marcelo Bluma (PV), a discussão foi sobre a necessidade  planejamento urbano. “Não pode permitir que a cidade cresça por conta de empreendimento”, disse Bluma.

Sobre asfalto, Alcides Bernal (PP) e Vander Loubet (PT) falaram de tapa buraco e qualidade do asfalto na cidade. Segundo o petista, o município gasta de forma ineficiente R$ 5 milhões por mês com tapa buraco e deveria priorizar o recapeamento. “Quem sofre de labirintite sofre para andar nas ruas”.


Bernal, por sua vez, atacou e disse que não vai permitir “ilhas sem asfalto e que vai recapear” todas as ruas.
Em relação às licitações, Azambuja e Vander questionaram os critérios dos certames. O tucano afirmou que empresa ligada ao prefeito Nelsinho Trad (PMDB) vence constantemente os processos. Ambos prometeram, como solução, transparência nos processos para resolver a questão.


Farpas – No último debate antes da votação do primeiro turno nas eleições municipais, Giroto adotou postura de enfrent a seu principal rival na disputa, Alcides Bernal.

O peemedebista afirmou que o deputado estadual não apresentou, enquanto vereador de Campo Grande, um projeto sequer para melhorar a saúde, tema que, segundo ele, o progressista prioriza como ataque.

Bernal se defendeu e disse estar sendo vítima de agressões do candidato do PMDB, que voltou a retrucar. “Bernal fala bonito, fala bem, mas não resolve, não tem proposta, não tem um projeto sequer. É a diferença entre quem fala e faz”.

Saúde Embora outros temas flutuassem no programa, a saúde mostrou novamente ser a maior tônica. Em embate entre Sidney Melo e Giroto, o candidato do PSOL atacou o candidato do PMDB ao perguntar porque a saúde estava tão ruim se os últimos dois prefeitos de Campo Grande são médicos.

“Não sou pau mandado de ninguém”, retrucou o deputado federal. “Vou montar minha equipe e a saúde vai ser resolvida com atuação firme, com a valorização do servidor, que serão capacitados para dar bom atendimento”.

Em pergunta entre Vander e Azambuja, a dívida da Santa Casa foi abordada. “Todo mundo sabe que a intervenção não funcionou. A Santa Casa continua superlotada. A dívida era de R$ 50 milhões e passa dos R$ 100 milhões. E temos R$ 700 milhões de orçamento. Tem que parar de construir um pouco e colocar atendimento”, disse o tucano, enquanto o petista defendeu que o hospital seja devolvido para a Associação Beneficente, antiga mantenedora.

Em outro momento, Bernal e Azambuja discorreram sobre o serviço do Samu e criticaram ambulâncias sem condições de operação. “Temos 30 ambulâncias e apenas 14 atendem. Nosso povo precisa do Samu. Falta gestão de qualidade”, discursou o progressista, enquanto Reinaldo prometeu acabar com a falta de atendimento.

Mais temas – Política de geração de empregos, impostos e o tratamento do lixo em Campo Grande foram outros assuntos abordados ao longo do terceiro e quarto blocos do nono e último debate entre candidatos à Prefeitura da Capital.


Numa pergunta entre Bluma e Bernal, a relação entre estratégia para geração de empregos com crescimento e qualidade de vida foi discorrida.

O progressista prometeu foco na vocação das regiões e qualificação de mão de obra, além de incentivos fiscais para atrair novas empresas e “política tributária justa”.


Em relação ao lixo, num embate entre Giroto e Sidney, o postulante pelo PSOL assegurou que, caso eleito, vai priorizar a situação dos profissionais como catadores e recicladores para transformar o lixo em riqueza para a cidade.
O peemedebista, por sua vez, lembrou do acordo entre Prefeitura e MPE (Ministério Público Estadual) que projeta para o ano que vem a finalização do aterro sanitário e a criação da usina de triagem.


A carga tributária, por sua vez, marcou o choque de ideias entre Vander e Bluma. O vereador falou mais especificamente sobre o ISS que, para ele, precisa de ampliação na base de arrecadação para influenciar de forma consistente no orçamento municipal.


O petista, por sua vez, prometeu reduzir a carga tributária numa política alinhada com o Governo da presidente Dilma Rousseff.

Bluma e Sidney também abordaram a contratação de comissionados na Prefeitura. Ambos prometeram reduzir o número de comissionados. “Muitos têm sido obrigados a declarar voto e participar de caminhadas políticas”, disparou Melo.



Começamos analisando a especificidade de cada um: Bernal: advogado - Giroto: engenheiro, portanto se na oratória o Giroto fosse melhor que o Bernal, este poderia devolver o diploma. Qto às perguntas e respostas, senti muita dificuldade do sr. Bernal responde-las diretamente, sem antes se fazer de "coitadinho" pq está sendo atacado constantemente, tenha dó! Reinaldo também fala bonito, mas pergunta lá em Maracaju se todos concordaram com a sua gestão. A resposta não será tão satisfatória quanto ele imagina. O Vander dispensa comentários. Os demais, na verdade, são muito insistentes mas ainda falta muita bagagem para ser um prefeito de capital. Aliás, neste quesito fica bem claro que Bernal também está aquém do que se espera, enquanto vereador e deputado fez quase nada, quiçá qto gestor.
 
Marcilene Dutra em 05/10/2012 09:17:16
Nada contra o Giroto, mas o que ta prejudicando ele é o próprio prefeito Nelsinho que aumentou o IPTU abusivamente sem levar em consideração a renda das pessoas e a inflação! Alem disso a atual administração não se preocupa em gerar empregos, a prova disso foi quando abandonaram a rodoviária velha, deixando os comerciantes e hotéis à própria sorte e tirando o estacionamento do canteiro da Afonso Pena prejudicando o comercio! A preocupação maior da prefeitura são as obras e o "bem estar das pessoas" construindo e reformando praças pro povo fazer exercícios! Congelar o IPTU é possível sim! Não é justo pagarmos tão caro por obras que, na maioria são desnecessárias e mais caro do que cidades como São Paulo e Curitiba!
 
clovis araujo em 05/10/2012 05:13:21
Azambuja junto com o Bernal, muita decepção!!! Falam mal de Campo Grande sem nenhuma proposta de melhora
 
Marcos Maia Vicentine em 05/10/2012 02:09:56
O DEBATE FOI HILARIO,GIROTO BABANDO EM CIMA DO BERNAL, BERNAL PERGUNTAVA PRO AZAMBUJA E AZAMBUJA PRO VANDER,E FALA SERIO O Q É AQUELE OLHO DO VANDER RSRSRRS, BOM O MELHOR EU ACHEI Q FOI O BERNAL ,GIROTO ESTAVA GAGUEJANDO MUITO E SUPER NERVOSO,O SIDNEY TB BATEU UM BOLÃO
 
JOSUE DAMAENO em 05/10/2012 02:07:25
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions