A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 19 de Agosto de 2017

25/06/2015 17:59

Pacto pela saúde prevê investimentos em 8 hospitais e duas Upas

Lidiane Kober
Secretário prestou contas na Assembleia Legislativa (Foto: Divulgação/Roberto Higa/ALMS)Secretário prestou contas na Assembleia Legislativa (Foto: Divulgação/Roberto Higa/ALMS)

O pacto para aliviar a crise na saúde em Mato Grosso do Sul prevê investimentos em oito hospitais e em duas UPAs (Unidades de Pronto Atendimento). A informação partiu do secretário estadual de Saúde, Nelson Tavares, durante prestação de contas, na tarde desta quinta-feira (25), à Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa.

“Não queremos apenas aumentar o repasse para a Santa Casa e pronto. A saúde não iria melhorar como um todo. Então, com ajuda da Secretaria de Saúde de Campo Grande, das comissões da Assembleia e Câmara e do Ministério Público Estadual conseguimos resistir às pressões e formular uma proposta de recomposição da alta complexidade em todo o Estado”, afirmou Tavares.

À Santa Casa, foi proposto ampliação de R$ 500 mil no repasse mensal, totalizando R$ 3,5 milhões e mais R$ 1 milhão de imediato para obras no hospital. O hospital, por sua vez, quer R$ 4 milhões e pediu tempo para dar uma resposta.

Para o Hospital Regional, o pacto pela saúde promete a contratação de 233 novos funcionários, mais 10 novos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). À Maternidade Cândido Mariano receberia outros 10 novos leitos de UTI Neonatal e o Hospital Universitário mais 10 leitos de UTI Neonatal, 10 leitos infantis e duas UTIs adulto.

No caso do Hospital do Câncer a proposta é concluir dois andares usados pelo evento Casa Cor para se tornar a área administrativa e assim abrir mais 12 leitos; o São Julião receberia mais 22 leitos e R$ 600 mil de custeio e ao Hospital do Pênfigo o plano é contratualizar cerca de 150 cirurgias de média e alta complexidades em Ortopedia.

“Ainda estamos estudando outros pontos para firmar o acordo final de forma que inclua o Hospital Nosso Lar e duas UPAs de Campo Grande. Estamos aguardando de imediato a resposta da Santa Casa, mas já adiantamos que esse é um governo que quer uma mudança de posturas. Que não quer resolver coisas pontuais, mas rever a Saúde toda”, ressaltou o secretário estadual.

A presidente da Comissão de Saúde da Assembleia, deputada Mara Caseiro (PTdoB), destacou que é preciso um voto de confiança dos entes envolvidos para que a situação estadual possa melhorar. “Temos que admitir que esse acordo merece esse voto, pois em menos de um ano esse governo já mostrou que não quer fazer algo engessado e isso pode dar certo sim. Vamos continuar acompanhando”, frisou.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions