A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

31/12/2015 11:20

Pedetista ganha aval da Justiça para abrigar-se em ninho tucano

Leonardo Rocha
Deputado Beto Pereira ganha autorização para deixar o PDT, após conflito interno (Foto: Wagner Guimarães)Deputado Beto Pereira ganha autorização para deixar o PDT, após conflito interno (Foto: Wagner Guimarães)

O deputado estadual Beto Pereira conseguiu, por meio de decisão judicial, deixar o PDT e ganhar liberdade para trocar de partido, sem perder o mandato no legislativo. Ele disse que deve fazer esta escolha no começo de janeiro, porém a tendência é que o parlamentar reforce a bancada do PSDB em 2016.

"A decisão da Justiça saiu no dia 18 de dezembro, agora estou liberado para trocar de partido, por isso nem vou precisar de janela partidária, já estou autorizado. Devo definir esta situação de forma oficial nas primeiras semanas de janeiro", explicou.

O deputado adiantou que vai conversar com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) antes de fazer esta transferência, demostrando que a possibilidade de ir para o PSDB é muito grande.

Se for para o ninho tucano, o partido terá cinco deputados estaduais a partir de 2016, ficando atrás apenas do PMDB, que deve continuar com seis.

Impasse - Os problemas de Beto Pereira no PDT começaram durante a convenção para escolha da presidência regional. Alegando "manobra", ele articulou em cima da hora uma chapa de oposição ao deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT), alegando que este tinha preterido nomes do diretório, para indicar lideranças e pessoas de sua confiança.

Beto Pereira, junto com Felipe Orro, colocaram o nome do ex-presidente João Leite Schimidt no páreo, forçando inclusive um adiamento da convenção. Após articulação interna, Schimidt desistiu da candidatura e Dagoberto venceu a disputa.

Depois disto, o deputado estadual alegou que havia "perseguição" política contra ele e exclusão das decisões e reuniões do partido. Beto inclusive deixou de ser líder do PDT na Assembleia. "A justiça também entendeu que ficou configurado discriminação pessoal pelo partido, por isso fui liberado para seguir o meu caminho".

Marun ainda quer votar relatório da JBS antes de posse no ministério
Na véspera de ser empossado como ministro da Secretaria de Governo, o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), relator da Comissão Parlamentar Mista de Inqué...
Senado aprova R$ 1,9 bi a estados para compensar desoneração de exportações
Após suspender a sessão do Congresso Nacional, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), retomou os trabalhos do plenário da Casa com o obj...
Temer discutirá data de votação da reforma da Previdência nesta quinta
O anúncio do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), de que a votação da proposta de reforma da Previdência ficará para fevereiro causou r...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions