A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

03/09/2014 19:56

Pesquisa Datafolha aponta vitória de Marina no 2º turno

Michel Faustino

A última pesquisa divulgada pelo Datafolha aponta que em menos de duas semanas a candidata à Presidência da República, Marina Silva (PSB) deixou para trás Aécio Neves (PSDB) e está empatada tecnicamente com a presidente Dilma Rousseff (PT) chegando a menos de 30 dias das eleições como favorita também para bater a petista em um possível 2º turno. Nas pesquisas, Marina aparece com 50%, ante 40% da petista no segundo turno

Desde a primeira quinzena de agosto, a candidata do PSB passou de 21% para 34% das intenções de voto, mesmo índice obtido atualmente por Dilma (34%), que teve oscilação negativa, dentro da margem de erro, no mesmo período (tinha 36%). Quem mais perdeu terreno na corrida presidencial, no entanto, foi Aécio, que na pesquisa anterior empatava com Marina (tinha 20%) e agora aparece com 15%, seu menor índice desde o início da campanha, quando Eduardo Campos ainda era o candidato do PSB.

Na pesquisa espontânea, sem a apresentação de nenhum nome aos eleitores, as menções à Marina Silva mais do que triplicaram desde meados de agosto, passando de 5% para 22%. No mesmo período, a preferência espontânea por Dilma cresceu de 24% para 27%. As indicações espontâneas ao nome de Aécio oscilaram de 11% para 10%, e ficou em 6% a taxa dos que dizem espontaneamente que votarão em branco ou nulo. Com o início do horário eleitoral gratuito nos meios eletrônicos, que teve início em 19 de agosto, recuou de 49% para 32% a fatia dos que não souberam apontar nenhum nome espontaneamente.

Nas simulações de segundo turno, Marina abriu vantagem sobre Dilma: na última pesquisa, a pessebista tinha 47%, e a candidata do PT, 43%, em um empate técnico no limite da margem de erro. Atualmente, Marina tem 50%, ante 40% da petista. Há ainda 7% que votariam em branco ou nulo, e 3% que não souberam ou não quiseram opinar. Entre os homens, nesta simulação de segundo turno, Marina cresceu de 46% para 51%, enquanto Dilma caiu de 45% para 40%. Na parcela dos mais velhos, no qual Dilma tinha vantagem, Marina avançou de 36% para 43%, enquanto Dilma caiu de 49% para 43%. Na região Norte, Marina teve alta de 9 pontos na simulação de segundo turno contra Dilma (de 34% para 43%), e a petista recuou 11 pontos (de 59% para 48%). Entre os mais ricos, foi a presidente quem ganhou terreno, mas ainda fica atrás da adversária: passou de 21% para 35%,enquanto Marina teve recuo de 64% para 59%.

Rejeição - A rejeição ao nome de Dilma Rousseff se mantém alta entre o eleitorado brasileiro: 35% não votariam de jeito nenhuma na candidata do PT, índice similar ao registrado em meados de agosto (34%). Em seguida aparecem Pastor Everaldo, que viu a rejeição a seu nome subir de 17% para 23% no mesmo período, e Aécio Neves, cuja rejeição passou de 18% para 22%. Com taxas menores de rejeição aparecem Zé Maria (18% não votariam de jeito nenhum), Eymael (17%), Levy Fidelix (17%), Rui Costa Pimenta (16%), Luciana Genro (15%), Marina Silva (15%, ante 11% na pesquisa anterior), Eduardo Jorge (14%), e Mauro Iasi (14%). A fatia dos que não rejeitam nenhum deles fica em 9%, enquanto 3% rejeitam todos e 7% não opinaram.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions