A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 25 de Setembro de 2018

13/09/2018 11:07

PF ainda espera ex-prefeito aparecer e corretor de gado está foragido

Defesa de Nelson Cintra informou que ele está viajando e vai se apresentar; Polaco não foi encontrado

Anahi Zurutuza e Danielle Valentim
Agentes da PF chegam à superintendência com material apreendido na operação (Foto: Kísie Ainoã)Agentes da PF chegam à superintendência com material apreendido na operação (Foto: Kísie Ainoã)

Dos 14 mandados de prisão expedidos para a Operação Vostok, 12 foram cumpridos. A PF (Polícia Federal) ainda aguarda o pecuarista, ex-prefeito de Porto Murtinho e ex-presidente da Fundtur (Fundação do Turismo de Mato Grosso do Sul), Nelson Cintra, se apresentar. Já o corretor de gado de Aquidauana, José Ricardo Guitti Guimaro, conhecido como “Polaco”, é considerado foragido.

A defesa de Cintra fez contato com a superintendência em Campo Grande, explicou que o cliente está viajando e que se apresentará o quanto antes. Já Polaco não foi encontrado, nem em Mato Grosso do Sul e nem em Trairão, no Pará, onde há endereço ligado a ele.

O Campo Grande News apurou que dos 12 presos nesta quarta-feira (13), 11 já foram ouvidos pela PF. Eles passaram a noite em celas do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros), do Centro de Triagem Anísio Lima e no Presídio Militar.

O deputado estadual José Teixeira (DEM) e o conselheiro do TCE-MS (Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul), Marcio Monteiro, foram levados para o Presídio Militar.

Ainda ontem à noite, Teixeira recebeu durante a noite a visita de representantes do DEM, que lhe entregaram alimentos, roupas e utensílios pessoais. Eles chegaram à unidade do Complexo Penal, mas não deram mais informações à reportagem que fazia plantão em frente ao local.

Já o ex-prefeito de Dois Irmãos do Buriti e ex-deputado estadual e pecuarista, Osvane Ramos, foi levado para o Garras.

Ao que tudo indica, o restante dos presos está no Centro de Triagem, segundo a PF, e somente o pecuarista Zelito Ribeiro ficou na superintendência, pois se apresentou no fim da tarde de ontem e prestaria depoimento ainda nesta manhã.

Também foram presos Rodrigo Souza e Silva, filho do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), os pecuaristas Francisco Carlos Freire de Oliveira, Miltro Rodrigues Pereira, Ivanildo da Cunha Miranda (delator da Lama Asfáltica), Rubens Massahiro Matsuda e Elvio Rodrigues, além dos empresários João Roberto Baird e Antônio Celso Cortez (dono da PSG Tecnologia Aplicada).

Equipe que fez buscas no gabinete do deputado estadual Zé Teixeira deixando a Assembleia Legislativa (Foto: Paulo Francis)Equipe que fez buscas no gabinete do deputado estadual Zé Teixeira deixando a Assembleia Legislativa (Foto: Paulo Francis)

Vostok – Nesta quarta-feira, a operação foi às ruas para cumprir 41 mandados de busca e apreensão em Campo Grande, Aquidauana, Dourados, Maracaju, Guia Lopes de Laguna e Trairão, no Pará. Foram ao todo 220 policiais federais mobilizados, além dos promotores do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul).

Equipes estiveram na casa do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), no edifício State Garden, na avenida Alvorada, no centro de Campo Grande, e também no apartamento de Rodrigo, o filho do chefe do Executivo, que mora em prédio no cruzamento das ruas 13 de Junho e avenida Afonso Pena.

Vostok é o nome de uma estação de pesquisa russa localizada na Antártida onde já foi registrada uma das menores temperaturas da Terra. Ainda segundo a PF, o nome faz referência às notas fiscais frias utilizadas para a dissimulação dos pagamentos.

O foco da operação é o esquema de pagamento de propinas pela JBS em troca de incentivos fiscais – quando o Executivo decide deixar de cobrar impostos para estimular que empresa se instale no Estado. Políticos, pecuaristas e empresas do ramo frigorífico.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions