A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

27/04/2010 14:19

Plano prevê fim do analfabetismo e da miséria em 2022

Redação

Se cumprir todas as metas previstas pelo Plano Brasil 2022, no ano de seu bicentenário da Independência, o país terá erradicado o analfabetismo, a miséria e a desnutrição, bem como amenizado as disparidades social, de gênero e racial. Além disso, a qualidade de vida da população estará melhor graças a investimentos em infraestrutura, em especial a de transportes públicos. A expectativa é de que o bem estar do brasileiro fique mais próximo ao dos cidadãos de países desenvolvidos.

O cenário otimista consta da primeira parte do Plano Brasil 2022, divulgada hoje (27) pelo ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE), Samuel Pinheiro. "Nosso objetivo é o de sermos um país desenvolvido. Certamente isso não será alcançado em 2022 porque a renda per capita estará ainda em apenas US$ 12 mil. Mas teremos dado um passo muito significativo nesse sentido", afirmou o ministro.

Segundo ele, a diferença da renda per capita é um indicador levado em consideração pelo estudo. Atualmente, a do Brasil é de US$ 7 mil, enquanto a dos Estados Unidos é de cerca de US$ 46 mil. "Se não crescermos a uma taxa entre 6,5% e 7%, nossa situação comparativa ficará pior", avalia.

"Temos de ter como lema a ideia de distribuir [renda] para crescer, no sentido de formação firme do mercado interno e ao mesmo tempo de ter uma política firme de redução das disparidade no mais diversos âmbitos, para que não permaneçamos como uma sociedade dividida", argumenta o ministro, referindo-se às disparidades regionais e de renda existentes no país.

Encomendado à SAE pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Plano Brasil 2022 fixa metas a serem alcançadas pelo país até aquele ano. "Isso tudo implica em um esforço muito grande nos mais diferentes setores. Queremos índices de distribuição de renda muito menos graves do que os de hoje, e que a massa salarial aumente, para que [em 2022] não haja mais brasileiros analfabetos, desnutridos ou em situação de pobreza absoluta".

Para o ministro, a questão do transporte público merece atenção especial porque boa parte do tempo do brasileiro é gasta no trânsito entre a casa e o trabalho. "Isso está diretamente relacionado à qualidade de vida que é expressa também pela capacidade de mobilidade dentro das cidades, [uma vez que] o Brasil é um país que é cada vez mais urbano."

Ele prevê que haverá um equilíbrio maior dos sistemas de transporte, com uma ampliação dos sistemas ferroviário e hidroviário, equiparando-os ao rodoviário. "Integrando os sistemas de transportes daremos mais eficiência para a economia nacional, reduzindo custos e tempo gasto. Isso terá efeito direto nas exportações e no custo Brasil. Claro que, nesse contexto, é também necessária a ampliação e a diversificação das matrizes energéticas."

Para que as metas do plano sejam alcançadas, Pinheiro defende investimentos na "infraestrutura social"

Presidente Michel Temer deve ter alta na manhã desta sexta-feira
O presidente Michel Temer deverá ter alta hospitalar na manhã desta sexta-feira (15), informou o médico Roberto Kalil Filho, que coordena os cuidados...
Interrogatório de Lula na Operação Zelotes é marcado para fevereiro de 2018
A Justiça Federal em Brasília marcou para o dia 20 de fevereiro de 2018 os interrogatórios do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de seu filho ...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions