A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

21/03/2014 18:04

PMDB diz que ainda não participa da “coalizão” do prefeito Gilmar Olarte

Josemil Arruda
Acordo isolado não significa participação do PMDB, diz Mochi (Foto: arquivo)Acordo isolado não significa participação do PMDB, diz Mochi (Foto: arquivo)

O presidente regional do PMDB, deputado estadual Oswaldo Mochi Júnior, afirmou nesta sexta-feira (21) que seu partido não está participando do governo de “coalizão” do prefeito Gilmar Olarte, embora tenham ocorrido a nomeação de um peemedebista, o vereador Edil Albuquerque, para a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedesc). “O que eu disse ontem para prefeito Gilmar foi isso. Houve acordo com membros do PMDB isoladamente. Não houve acordo com o PMDB na ocupação de espaços”, garantiu Mochi.

Na reunião de ontem com Mochi e o vereador Vanderlei Cabeludo (PMDB), o prefeito pediu ao PMDB que cedesse a vaga da SAS para o seu partido, o PP, que não teria sido contemplado na administração, já que o único filiado nomeado, Cézar Afonso, deve deixar a Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbanístico) no começo de abril para se candidatar a deputado estadual.

“Na única vaga submetida à apreciação do PMDB, o partido indicou Ione Coelho para a SAS e isso foi encaminhado para o prefeito, que pediu uns dias para resolver. Na conversa de ontem, ele pediu desculpas e disse que o PP não tinha nenhuma secretaria e que por ele ser pastor e a esposa pastora não poderiam abdicar da área social”, contou o dirigente peemedebista.

Apesar de o PMDB não ter feito nenhuma indicação até agora, o presidente da legenda explicou que a escolha de Edil Albuquerque para a Sedesc tem o apoio dos peemedebistas. “Edil é grande nome e PMDB não tem problema nenhum de referendar, assim como outros nomes que o prefeito escolher. Mas não podemos dizer que indicações até agora foram do PMDB. O partido não foi consultado”, argumentou. “Houve acordo isolado”, acrescentou.

Diante dessa nova situação, segundo Mochi, a direção municipal do PMDB em Campo Grande deve abrir discussão nos próximos dias sobre outros espaços que o partido poderia ocupar na administração de Gilmar Olarte. “Isso é do Municipal. Tenho dado respaldo ao diretório municipal e tenho ido às reuniões, mas não estou pleiteando nenhum cargo, nenhum espaço para mim”, advertiu.

 

 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions