A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

04/07/2014 17:33

PRB mantém candidatura de pastor, mas pode retirar para manter apoio ao PMDB

Kleber Clajus
Vereador defende uso de brechas na lei para manter candidatura ao Senado (Foto: Marcelo Victor)Vereador defende uso de "brechas" na lei para manter candidatura ao Senado (Foto: Marcelo Victor)

O vereador Gilmar da Cruz (PRB) pode ter sua candidatura definida somente pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral), uma vez que não há consenso sobre a possibilidade de disputar em conjunto com Simone Tebet (PMDB) na chapa do peemedebista Nelson Trad Filho.

Para o presidente regional do PRB, Antônio Vaz, a candidatura segue ativa e um possível recuo deve ocorrer apenas por decisão judicial.

“A lei não proíbe dois candidatos, mas o TRE dará parecer e o que decidir vamos acatar. Estamos com Nelsinho, mas não apoiamos o Senado por entender que o pastor Gilmar pode trazer mais votos dos evangélicos do que a Simone”, avalia Antônio.

Conforme o candidato Nelson Trad, equipes jurídicas de ambos os partidos analisam a questão. Ele resume ainda que “nada será feito fora da legalidade”.

Mesmo que a Lei das Eleições (9504/97) não se oponha explicitamente a possibilidade de dois candidatos de mesma coligação e para mesmo cargo, três consultas sobre o tema ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), protocoladas em 1998 e 2010, ressaltaram impossibilidade de tal arranjo. Contudo, a questão é passível de interpretação do magistrado que julgar o caso.

“A única coisa que impede nossa candidatura são questões legais, mas há brechas e vamos usá-las. Estamos prontos para concorrer e, se não dê certo, permaneço a disposição do partido. Creio termos grande chance de ganhar o Senado e fazer o partido crescer”, opina Gilmar.

Além do Senado, o PRB tem por objetivo eleger ao menos três deputados estaduais e um federal. Em convenção, no último sábado (28), o partido referendou apoio a chapa majoritária do PMDB.

Reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, diz Meirelles
A reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, de acordo com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles. A declaração foi dada na noite de...
Quanto mais reforma demorar, mais dura será correção, diz ministro
Caso o governo não consiga aprovar a reforma da Previdência ainda este ano, conseguirá em 2018, disse hoje (11) o ministro do Planejamento, Dyogo Oli...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions