A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Novembro de 2019

17/10/2019 17:19

Prefeito e vereadores pedem aumento de R$ 10 milhões em fatia do Fundersul

Aumento de dez pontos percentuais no repasse do fundo foi considerado difícil pelo governador, que espera indicação de obras

Humberto Marques e Tainá Jara
Governador comandou reunião com prefeito, vereadores e lideranças na Esplanada Ferroviária. (Foto: Kísie Ainoã)Governador comandou reunião com prefeito, vereadores e lideranças na Esplanada Ferroviária. (Foto: Kísie Ainoã)

Na reunião que pautou a etapa do Governo Presente em Campo Grande, representantes do Paço e da Câmara Municipal apresentaram na Esplanada Ferroviária, como principal reivindicação, o aumento na fatia a que o município tem direito na partilha do Fundersul (Fundo de Desenvolvimento Rodoviário de Mato Grosso do Sul), usado para o custeio de obras de pavimentação e logística nos municípios. A intenção é subir de 20% para 30% a participação da Capital no todo partilhado entre as 79 prefeituras –que neste ano deve ser pouco superior a R$ 95 milhões.

Em números absolutos, a Prefeitura de Campo Grande prevê receber R$ 19,9 milhões do Fundersul neste ano (foram transferidos R$ 13,65 milhões entre 1º de janeiro e 16 de outubro, ou 68% do previsto para todo o ano). Os dez pontos percentuais a mais representariam quase R$ 10 milhões a mais para obras de asfaltamento.

O atendimento à reivindicação, porém, passa pela própria remodelação do fundo, já que o governador informou, em coletiva, que o Estado deverá criar um fundo privado para defesa sanitária animal e vegetal –sobre o qual ele não deu mais detalhes.

Em geral, nas reuniões do Governo Presente, lideranças políticas de municípios do interior apresentaram uma relação com três obras ou serviços que esperam ser realizados –as quais o governo pretende executar em um intervalo de até 3 anos. Em Campo Grande, segundo o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), o prefeito Marquinhos Trad (PSD) e os vereadores apresentaram mais reivindicações em infraestrutura, “especificamente recursos do Fundersul, com aumento do percentual repassado”.

Partilha – Marquinhos confirmou que o governo deve analisar a solicitação que, caso seja atendida, terá destinação carimbada. “O dinheiro só pode ser utilizado naquilo que determina o repasse do Fundersul”, afirmou o prefeito.

“Vamos ver o que é possível aumentar. Mas que se elenquem obras. Quando se discute o Fundersul, falamos de obras urbanas de estradas, pontes de concreto, linhas de ônibus, na área rural. O prefeito Marquinhos e sua equipe vão elencar as obras prioritárias para executarmos”, confirmou o governador.

Marquinhos reforçou que verba do Fundersul é carimbada. (Foto: Kísie Ainoã)Marquinhos reforçou que verba do Fundersul é "carimbada". (Foto: Kísie Ainoã)

Hoje, 25% do total arrecadado com o fundo (cerca de R$ 95 milhões de um total previsto em R$ 380 milhões neste ano) já é direcionado para as prefeituras. E, desta parcela, 20% (os R$ 19,9 milhões) vêm para Campo Grande. “Se (prefeito e vereadores) elencaram a infraestrutura, vamos dar prioridade, com damos nas parcerias com bairros a serem pavimentados. Há também várias emendas da bancada federal para atender o setor, e o governo do Estado vai ajudar aportando mais recursos”, destacou o governador.

Reinaldo sinalizou, porém, dificuldade em atender o pedido. “Vai ser muito difícil entregar os 30% do Fundersul pedido para Campo Grande, mas vai ser possível entregar boa parte dos investimentos, como acontece com a Avenida Ernesto Geisel, com o Reviva Centro, as Avenidas Bandeirantes e Euler de Azevedo e tantas outras obras. O Aero Rancho, onde vamos iniciar obra (de pavimentação) de R$ 15 milhões, e outros bairros que tiveram investimento, como o Nova Lima, pavimentado em parceria do município e Estado”, enumerou.

Parceria – O governador considerou a reunião com as lideranças da Capital “extremamente positiva”, estendendo-se um pouco mais que os 40 minutos, em média, destinados aos encontros no interior.

Nela, foram tratadas parcerias já em execução, como a reforma do Ginásio Avelino dos Reis (o Guanandizão), que em 2020 receberá uma etapa da Liga Mundial de Vôlei –“o maior evento antes da Olimpíada e que vai trazer Rússia, Estados Unidos, Alemanha e Brasil para jogarem aqui”– e a conclusão dos sete andares do Hospital de Câncer Alfredo Abrão, com instalação de equipamentos.

Já em relação às reuniões do Governo Presente até aqui, Reinaldo destacou haver “muita coisa já em andamento” diante da centralização dos projetos. “Muitas coisas eram prioridade do governo e vínhamos pactuando com as administrações municipais. Só que surgiu muita coisa nova, e estas, o que for possível, daremos sequência: equipamentos de agricultura familiar, pontes que estão sendo feitas, o anel rodoviário para ligar os três terminais portuários em construção em Porto Murtinho”, enumerou. A intenção, prosseguiu, é para que em três anos “muito do que foi pedido seja executado e entregue”.

Entre 24 e 25 de outubro, a iniciativa será realizada em Naviraí –a 366 km da Capital–, reunindo municípios do Cone Sul, encerrando as atividades em Dourados, para toda a região.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions