ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, TERÇA  28    CAMPO GRANDE 27º

Política

Prefeitura e Governo do Estado vão investir mais de R$ 80 milhões em obras

Montante será destinado para as obras de acesso às Moreninhas, Feira Central e Avenida dos Cafezais

Por Karine Alencar e Liana Feitosa | 24/05/2022 16:55
Encontro da prefeita com o governador (Foto: Paulo Francis)
Encontro da prefeita com o governador (Foto: Paulo Francis)

Encontro entre a prefeita Adriane Lopes (Patriotas), e o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), na tarde desta terça-feira (24), oficializou investimento de mais de R$ 80 milhões a serem destinados para obras em Campo Grande.

A reunião a portas fechadas na sede da governadoria, teve como assuntos principais as obras de acesso às Moreninhas, que custará R$ 60 milhões aos cofres públicos, incluindo dois trechos.

O recurso será alocado para desapropriação, alargamento e adequações ao bairro. Um processo licitatório será aberto para a execução da revitalização. Segundo Azambuja, o montante a ser aplicado já está separado para a intervenção.

Esse projeto entrou em fase de contratação ainda no ano passado, com previsão de ser iniciado no segundo semestre deste ano, com a conclusão para 2022. O único acesso ao bairro é pela Gury Marques. Após a obra, o acesso sairá do Bairro Rita Vieira, por meio da avenida que leva o nome do bairro.

O percurso de acesso será pela Avenida Salomão Abdala, chegando próximo ao anel rodoviário, na BR-163, onde três novas vias serão criadas, à direita.

Via de acesso às Moreninhas (Arte: Thiago Mendes)
Via de acesso às Moreninhas (Arte: Thiago Mendes)

Outro tópico discutido foi a obra da Avenida dos Cafezais, que passará por alargamento, recapeamento e duplicação de uma pista, entre o cruzamento com a Gury Marques e a rotatória com a Avenida Delegado Alfredo Hardman.

Durante a reunião, Adriane e Azambuja conversaram ainda sobre a construção da piscina olímpica do Parque Ayrton Senna. De acordo com o governador, basta finalizar um convênio para a liberação do dinheiro.

A Feira Central também passará por remodelação e a obra chegará a custar R$ 40 milhões, sendo R$ 15 milhões já liberados pela bancada Federal, e R$ 25 milhões que ficarão a cargo do Estado e prefeitura.

Questionado sobre os entraves políticos que existiram entre a administração do município com o Estado anteriormente, Azambuja disse que as oposições são momentâneas. “Estado nunca fechou as portas à Campo Grande e à nenhuma prefeitura”, afirmou.

“Tiveram muitas coisas que caminhamos com o ex-prefeito e agora a prefeita assumiu e veio com as prioridades dela, então naquilo que é prioridade da prefeita Adriane e do governo do Estado, nós pactuamos. Quem ganha com isso? A população", completou.

“Independente das questões, vamos dizer, das cotoveladas políticas que existem, como em qualquer ditado popular sobre um jogo de futebol, isso acontece. O importante é que tem uma relação. As questões políticas a gente deixa para as eleições”, finalizou Azambuja.

Nos siga no Google Notícias