A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

03/08/2018 11:04

Presídio onde ex-governador está vira “comitê de campanha” do MDB

Cinco parlamentares e dois presidentes de partido estiveram no Centro de Triagem visitando André Puccineli e tratando das alianças para a eleição

Mayara Bueno e Leonardo Rocha
Saindo do presídio nesta manhã: da esquerda à direita, deputado Junior Mochi, senador Waldemir Moka, deputados Márcio Fernandes e Eduardo Rocha. (Foto: Marina Pacheco).Saindo do presídio nesta manhã: da esquerda à direita, deputado Junior Mochi, senador Waldemir Moka, deputados Márcio Fernandes e Eduardo Rocha. (Foto: Marina Pacheco).

Com a prisão de André Puccinelli, maior liderança do MDB em Mato Grosso do Sul, o Centro de Triagem, presídio localizado no Jardim Noroeste, em Campo Grande, se tornou o "comitê de campanha" provisório do partido. Desde que Puccinelli foi preso, em 20 de julho, o local recebe visita de variadas lideranças do MDB e de outros partidos. Nos últimos dias, como esta sexta-feira (3), dia que antecede à convenção da legenda, o movimento se intensificou.

Depois de quase duas horas reunidos com André, deixaram o presídio os deputados estaduais Renato Câmara, Eduardo Rocha e o presidente da Assembleia Legislativa, Junior Mochi, além do presidente do MDB em Campo Grande, Ulisses Rocha, e o senador Waldemir Moka.

Em nome do grupo, Eduardo Rocha afirmou que definições como o nome do candidato a vice do governo ainda não saíram. "Não temos ainda uma definição. Viemos conversar com o André e vamos continuar [as negociações] durante todo o dia". Afirmou, ainda, que a substituição da candidatura do ex-governador pela senadora Simone Tebet segue mantida.

O deputado Renato Câmara confirmou, ainda, que uma reunião às 15 horas na sede do diretório do MDB, em Campo Grande, vai bater o martelo quanto aos apoios e o nome do vice. A ideia é ouvir os prefeitos da legenda e também os possíveis aliados. Cotado até então, Câmara afirmou que não será candidato a vice, já que seu projeto é tentar se reeleger no parlamento estadual.

Deputado pelo MDB, Eduardo Rocha conversa na saída do presídio. (Foto: Marina Pacheco).Deputado pelo MDB, Eduardo Rocha conversa na saída do presídio. (Foto: Marina Pacheco).

Outras visitas - Quem também passou pelo presídio foi o presidente do PTC em MS, Cesar Gazolla. Ele afirmou que foi ao local para "prestar solidariedade e dar um abraço" em Puccinelli, já que o respeita muito.

Sobre apoio, no entanto, o dirigente disse que a proposta dos emedebistas "continua na mesa", porém ainda vai conversar com o governador Reinaldo Azambuja, candidato do PSDB à reeleição, na tarde de hoje, e, depois, com o juiz federal aposentado, Odilon de Oliveira, também postulante ao governo pelo PDT.

Partido do ex-senador Delcídio do Amaral, o PTC vai lançar candidatura ao Senado, afirmou o dirigente. O partido avalia apenas se Delcídio terá condições legais de concorrer. "Caso a gente não consiga aval da Justiça, vamos lançar outro candidato".



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions