ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 26º

Política

Projeto de lei aprovado na Câmara cria corregedoria da Guarda Municipal

Lei é do Executivo municipal e foi aprovada com questionamentos da categoria na sessão da Câmara Municipal

Izabela Sanchez e Kleber Clajus | 23/08/2018 12:18
Projeto gerou questionamentos de Guardas Municipais (Kleber Clajus)
Projeto gerou questionamentos de Guardas Municipais (Kleber Clajus)

Questionado pela categoria, projeto de lei do Executivo de Campo Grande cria a Corregedoria-Geral da Guarda Municipal e foi aprovado em regime de urgência durante a sessão desta quinta-feira (23), na Câmara Municipal. Além da corregedoria, outro projeto do Executivo foi aprovado na Câmara e cria um Fundo Municipal de Segurança e Defesa Social.

A criação da corregedoria mexeu com os ânimos dos guardas municipais e a sessão chegou a ser suspensa. Presidente do Sindicato dos Guardas Municipais, Hudson Bonfin afirma que o projeto não foi consultado junto à categoria. O temor, declarou, é que a corregedoria terá “plenos poderes” de demitir servidores.

Único voto contrário ao projeto o vereador André Salineiro (PSDB), e o vereador Hederson Fritz (PSD) levaram os questionamentos da categoria durante e chegaram a cogitar pedido de vistas, mas decidiram pela continuação da votação após reunião interna.

“A criação de uma corregedoria causa uma situação de insegurança entre os guardas, mas é uma lei como ocorre com a polícia militar, tem que ter uma corregedoria para regrar”, comentou o Presidente da Comissão Permanente de Legislação, Justiça e Redação Final, Otávio Trad (PTB).

Corregedoria – A corregedoria funciona com um corregedor e um corregedor adjunto, conforme estabelecido por lei. O corregedor deverá ter formação em Direito. Cabe à corregedoria a fiscalizar, investigar e auditar a conduta dos guardas, além de apurar representações e denúncias fundamentadas contra os agentes.

A lei atende duas normativas federais: a lei 13022/14, que regulamentou a atividade dos guardas e o Estatuto do Desarmamento, lei 10826/2003. O Estatuto estabelece que o profissiol que tiver porte de armas terá que passar por formação e ser fiscalizado. A lei agora, vai para sanção do Executivo municipal e entra em vigor quando for publicada em Diário Oficial.

Fundo Municipal – O Fundo Municipal de Segurança e Defesa Social inicia as atividades com perspectiva de ter R$ 500 mil para as ações. O objetivo, conforme a lei, é que ele seja sustentado por meio de doações e repasses federais. Do valor, 60% serão aplicados em investimentos e 40% no custeio do Fundo, a exemplo de campanhas educativas.

Nos siga no Google Notícias