A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 25 de Agosto de 2019

18/03/2019 11:56

PSL quer lançar Renan Contar à prefeitura da Capital, diz senadora

Apesar de lisonjeado pela cogitação de seu nome, deputado estadual disse que está “100% focado” em seu mandato

Danielle Valentim e Leonardo Rocha
Soraya durante audiência pública na Câmara Municipal de Campo Grande, sobre cotas partidárias e participação efetiva das mulheres na política. (Foto: Leonardo Rocha)Soraya durante audiência pública na Câmara Municipal de Campo Grande, sobre cotas partidárias e participação efetiva das mulheres na política. (Foto: Leonardo Rocha)

O PSL (Partido Social Liberal) já planeja nomes para prefeituras de quatro cidades de Mato Grosso do Sul, informou a senadora Soraya Vieira Thronicke e presidente regional do partido, na manhã desta segunda-feira (18). O nome pensado para disputar a gestão de Campo Grande em 2020 é o do deputado estadual Renan Contar (PSL).

“Vou convencê-lo a ser candidato a prefeito em 2020”, disse a senadora e líder regional do PSL, durante audiência pública na Câmara Municipal de Campo Grande, sobre cotas partidárias e participação efetiva das mulheres na política.

Ainda segundo a parlamentar, o PSL vai dar prioridade para pessoas fora política e às mulheres. “O partido não vai focar em picuinhas e pretendo lançar 50% dos candidatos de mulheres”, disse.

Os nomes cotados estão: Renan Contar para Campo Grande; Aristeu Carbonaro para Dourados; Elano para Corumbá e Raquel Portioli para Ponta Porã.

Apesar de lisonjeado pela cogitação de seu nome, deputado Renan Contar disse ao Campo Grande News que está “100% focado” no mandato na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul. “No momento eu estou focado no meu mandado de deputado estadual. Fico muito lisonjeado pela cogitação de nossa senadora, porém eu nesse momento estou focado e todo meu trabalho será voltado ao meu mandato”, disse.

Coronel David – Sobre a polêmica envolvendo o deputado Carlos Alberto David (PSL), que ameaçou deixar o partido caso não seja tratado com “dignidade” dentro do PSL, a senadora afirmou já tê-lo chamado para duas reuniões. “O momento é de sentar e conversar porque não há nada que não se resolva com um bom diálogo. Todo partido tem suas divergências de pensamento e o PSL não é diferente. Mas vamos resolver isso sem drama”, disse.

A direção estadual do partido é formada pela senadora Soraya, deputado estadual Renan Contar, deputado estadual Loester Carlos Gomes de Souza, deputado federal Sindoley Morais, e deputada estadual Raquel Portioli. “90% do partido está unido”, finalizou Soraya.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions