A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

02/06/2014 15:26

PTB diz que Sérgio Longen não deixa Fiems para disputar vaga do Senado

Josemil Arruda
Longen optou por continuar na Fiems a enfrentar Simone na disputa pelo Senado (Foto: arquivo)Longen optou por continuar na Fiems a enfrentar Simone na disputa pelo Senado (Foto: arquivo)

O presidente regional do PTB, Ivan Lousada, informou esta tarde que o presidente da Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul), Sérgio Longen, não vai deixar o cargo para disputar a vaga do Senado. O prazo para desincompatibilização de dirigente de federação e sindicato termina no próximo dia 5 de junho e Longen optou por continuar presidindo a Fiems.

“Ele não é candidato. Não vai disputar e isso eu vou confirmar amanhã em Brasília, em reunião com o presidente nacional em exercício do PTB, ex-deputado federal Benito Gama”, revelou Ivan Lousada, admitindo, porém, que apesar dessa posição de Longen a tendência é que o PTB promova coligação eleitoral com o PT.

Aliás na reunião de amanhã com Benito Gama, além de Ivan Lousada, também devem participar o senador Delcídio do Amaral, pré-candidato a governador do PT, e o presidente regional petista e prefeito de Corumbá, Paulo Duarte.

Petistas confirmaram que Longen não deve mesmo ser candidato e que agora a expectativa é de que a “solução caseira” seja confirmada, com o presidente da Cassems (Caixa de Assistência dos Servidores de Mato Grosso do Sul), Ricardo Ayache, disputando a vaga no Senado na chapa encabeçada por Delcídio.

Longen teria resolvido não disputar a vaga do Senado em razão do cenário difícil, com a vice-governadora Simone Tebet tendo o forte apoio do governador André Puccinelli. “Entrar num tiroteio desse aí é loucura. Deixar a industria para uma disputa dessa não dá, iria desgastar muito ele e o partido. É uma briga muito desigual, há todo um esquema montado em cima da Simone”, alegou o dirigente petebista.

A prioridade do PTB agora, segundo Ivan Lousada, é eleger pelo menos um deputado estadual na eleição deste ano. “Temos de discutir agora aliança proporcional para eleger um ou dois deputados estaduais”, apontou, asseverando que, como a nível nacional do partido deve apoiar a reeleição de Dilma Roussef (PT), a probabilidade maior é aliança estadual com os petistas. “Nossa tendência aqui é ficar com o PT também”, admitiu.

No dia 15 de maio deste ano, o Campo Grande News antecipou que Longen não disputaria o Senado e o PT recorreria a uma solução caseira, com o lançamento do nome do presidente da Cassems.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions