A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

06/12/2012 15:39

Puccinelli garante reforço em Aral Moreira, mas cobra verba da União

Fabiano Arruda e Aline dos Santos
Puccinelli garante reforço em Aral Moreira, mas cobra verba da  União

O governador André Puccinelli (PMDB) assegurou, nesta quinta-feira, que o policiamento no município de Aral Moreira, a cerca de 360 quilômetros de Campo Grande, será reforçado após bandidos explodirem o cofre da agência banco do Brasil e invadirem o pelotão da Polícia Militar na noite de ontem (5).

Segundo ele, o efetivo na cidade será reforçado, no entanto, não detalhou como o plano será executado. Além disso, André voltou a cobrar empenho do Governo Federal, sobretudo financeiro, para auxiliar o combate ao crime nas regiões de fronteira.

“O ministro (da Justiça, Eduardo Cardozo) vem aqui, faz um farol danado, diz que vai fazer não sei o quê e não faz nada”, criticou.

Conforme Puccinelli, todos os projetos para reforço da segurança em cidades de fronteira em Mato Grosso do Sul estão em análise em Brasília (DF). “Mandem a grana”, disparou.

Não veio? – As reclamações do chefe do Executivo Estadual fazem referência a convênios e portarias do Governo de MS com o Ministério da Justiça, realizadas este ano, mas que parecem não ter efetivado repasses aos cofres de MS.

Portaria da Secretaria Nacional de Segurança Pública, publicada no mês de setembro, por exemplo, sinalizava repasse de R$ 771 mil para informatização de delegacias em Mato Grosso do Sul, além de instituir processo de habilitação de propostas para desenvolvimento de ações necessárias à implementação do Sinesp (Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisionais e sobre Drogas).

Um mês antes, assinatura de convênio, realizada em Ponta Porã, previa a destinação de R$ 20 milhões para investimento na região de fronteira, parte da Enafron (Estratégia Nacional de Segurança Pública nas Fronteiras), instituído pelo governo Dilma Rousseff (PT).

O Estado ainda investirá, como contrapartida, R$ 205,7 mil. Puccinelli assinou o convênio com a secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Miki.



a policia militar já se fez aniversario de 3 anos que não vê cara de fardamento para seus policiais , nao vem tampar o sol com a peneira, responsabilidade nao se transfere,, agora com certeza esses bandidos vao partir para outra cidade do interior , !! onde só tem um pracinha la no fundo de um destacamento caindo em sua cabeça !! acorda Brasil!!!
 
Jorge da silva em 06/12/2012 19:18:19
É sempre assim no Brasil....só trancam a porta depois do assalto!
 
edmur Penedo em 06/12/2012 18:47:45
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions