ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUARTA  17    CAMPO GRANDE 21º

Política

Relatório da CPI critica “burocracia” que atrasa obra do Hospital do Trauma

Zemil Rocha e Zana Zaidan | 02/12/2013 17:06
Relator da CPI ao lado do presidente da comissão, Amarildo Cruz (Foto: Marcos Ermínio)
Relator da CPI ao lado do presidente da comissão, Amarildo Cruz (Foto: Marcos Ermínio)

O relator da CPI da Saúde da Assembleia Legislativa do Estado, deputado Oswaldo Mochi Junior (PMDB), criticou a burocracia que acabou transformando a obra do Hospital do Trauma num “novela” interminável. “A CPI concluiu seus trabalhos enquanto a burocracia atrasa a obra, tem gente morrendo”, afirmou Junior Mochi, como é mais conhecido..

Acidentes de trânsito são um dos maiores problemas de Campo Grande e ganha contornos de “epidemia”, segundo o relator da comissão, que está lendo seu relatório esta tarde na Assembleia Legislativa.

A obra nasceu de um convênio firmado em 2002 entre a Santa Casa e o Fundo Nacional de Saúde (FNS), no valor inicial de R$ 3,715 milhões. A execução começou efetivamente em 2004 e naquele mesmo ano foi embargada pelo Ministério Público.

Em 2008 houve retomada depois de feitas as adequações, com alteração no objeto: de maternidade, o hospital passaria a atender traumas. A justificativa para a mudança foi a queda da natalidade, por um lado, e o aumento acidentes de trânsito, por outro.

A Prefeitura de Campo Grande já repassou R$ 3,28 milhões e o Ministério da Saúde R$ 4,7 milhões. As duas empreiteiras envolvidas na obra já receberam R$ 6,4 milhões. A Teslenco enviou oficio à CPI em meados deste ano informando que obra ficará pronta em julho de 2014.

Nos siga no Google Notícias