ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
DEZEMBRO, DOMINGO  03    CAMPO GRANDE 27º

Política

Se for preciso emendo no Governo também, diz André sobre demissões

Wendell Reis | 13/03/2012 16:31
Governador não vê problemas em demitir funcionários do PSDB e PPS que ocupam cargo no Governo(Foto: Marlon Ganassin)
Governador não vê problemas em demitir funcionários do PSDB e PPS que ocupam cargo no Governo(Foto: Marlon Ganassin)

O governador André Puccinelli (PMDB) deu sinais de que pode estender as demissões que vão ocorrer no secretariado municipal para o Governo do Estado. Ao ser questionado sobre o fato do prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) demitir secretários do PSDB e PPS, pelo fato deles disputarem a prefeitura com Edson Giroto (PMDB), Puccinelli considerou a situação normal e disse pensar em aumentar a lista:

“Se for preciso eu emendo no Governo também”, declarou . Questionado se o fato não seria negativo, Puccinelli lembrou que Zeca do PT também exonerou Dagoberto Nogueira (PDT) da secretaria de Segurança, quando ele anunciou que seria candidato a prefeito.

O Caso Nelson Trad Filho deve anunciar nos próximos dias a exoneração de secretários do PSDB e PPS. Os partidos devem lançar a candidatura de Reinaldo Azambuja (PSDB) e Athayde Nery (PPS) para concorrer com o pré-candidato do PMDB à prefeitura da Capital, Edson Giroto.

Atualmente, o PSDB ocupa a Secretaria de Educação, dirigida por Maria Cecília Amêndola e a Funesp, presidida por Carlos Alberto de Assis. O PPS está à frente da Funsat (Fundação Social do Trabalho), presidida por Luiza Ribeiro, Fundação de Cultura, ocupada por Roberto Figueiredo, e o IMPCG (Instituto Municipal de Previdência de Campo Grande), presidido por Cézar Galhardo.

Despreocupado - Puccinelli também falou sobre as reuniões feitas pela oposição para vencer o candidato do PMDB e disse não estar preocupado. “Precisam se unir para derrotar o PMDB. É sinal que o PMDB está bem colocado na apreciação da população a quem nós, Nelson Trad Filho e eu seguimos”.

Nos siga no Google Notícias