ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUARTA  26    CAMPO GRANDE 28º

Política

Se for preciso emendo no Governo também, diz André sobre demissões

Por Wendell Reis | 13/03/2012 16:31
Governador não vê problemas em demitir funcionários do PSDB e PPS que ocupam cargo no Governo(Foto: Marlon Ganassin)
Governador não vê problemas em demitir funcionários do PSDB e PPS que ocupam cargo no Governo(Foto: Marlon Ganassin)

O governador André Puccinelli (PMDB) deu sinais de que pode estender as demissões que vão ocorrer no secretariado municipal para o Governo do Estado. Ao ser questionado sobre o fato do prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) demitir secretários do PSDB e PPS, pelo fato deles disputarem a prefeitura com Edson Giroto (PMDB), Puccinelli considerou a situação normal e disse pensar em aumentar a lista:

“Se for preciso eu emendo no Governo também”, declarou . Questionado se o fato não seria negativo, Puccinelli lembrou que Zeca do PT também exonerou Dagoberto Nogueira (PDT) da secretaria de Segurança, quando ele anunciou que seria candidato a prefeito.

O Caso Nelson Trad Filho deve anunciar nos próximos dias a exoneração de secretários do PSDB e PPS. Os partidos devem lançar a candidatura de Reinaldo Azambuja (PSDB) e Athayde Nery (PPS) para concorrer com o pré-candidato do PMDB à prefeitura da Capital, Edson Giroto.

Atualmente, o PSDB ocupa a Secretaria de Educação, dirigida por Maria Cecília Amêndola e a Funesp, presidida por Carlos Alberto de Assis. O PPS está à frente da Funsat (Fundação Social do Trabalho), presidida por Luiza Ribeiro, Fundação de Cultura, ocupada por Roberto Figueiredo, e o IMPCG (Instituto Municipal de Previdência de Campo Grande), presidido por Cézar Galhardo.

Despreocupado - Puccinelli também falou sobre as reuniões feitas pela oposição para vencer o candidato do PMDB e disse não estar preocupado. “Precisam se unir para derrotar o PMDB. É sinal que o PMDB está bem colocado na apreciação da população a quem nós, Nelson Trad Filho e eu seguimos”.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário