A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Agosto de 2017

23/06/2015 14:49

Secretário diz que obra do Aquário foi mal planejada e é a mais polêmica

Antonio Marques
Secretário de Infraestrutura, Marcelo Miglioli, diz que obra do Aquário foi mal planejada. Com estimativa inicial de gasto de R$ 87 milhões, o custo já passou dos R$ 200 milhões (Foto: Fernando Antunes)Secretário de Infraestrutura, Marcelo Miglioli, diz que obra do Aquário foi mal planejada. Com estimativa inicial de gasto de R$ 87 milhões, o custo já passou dos R$ 200 milhões (Foto: Fernando Antunes)

O secretário de Estado de Infraestrutura (Seinfra), Marcelo Miglioli, disse hoje de manhã, em entrevista a rádio e TV Educativa, que a obra do Aquário do Pantanal é considerada uma das obras civis mais polêmicas do Estado e enfrenta problemas de gerenciamento devido a um erro de planejamento. Ele disse que a obra faz parte do programa “Obras Inacabadas Zero” e que o governo está fazendo esforço para conclui-la neste ano.

Segundo o secretário, são quatro empresas trabalhando na obra do Aquário com contratos independentes, mas que fisicamente dependem uma da outra. “Foi um planejamento inexequível, mas estamos fazendo todos os esforços para terminá-la este ano. Para tanto mantivemos a estrutura, com as mesmas empresas, mesma equipe de fiscalização, mesma consultoria”, explicou.

Marcelo Miglioli disse ainda que, em janeiro deste ano, foi criada uma Comissão para auditar a obra com o objetivo de mostrar à sociedade a isenção do atual governo de qualquer questão política. “Também abrimos o Aquário para a Assembleia Legislativa, Tribunal de Contas, Ministério Público, sociedade organizada e chamamos para participar da Comissão o Crea/MS (Conselho Regional de Engenharia e agronomia de Mato Grosso do Sul) e o Cau/MS (Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Mato Grosso do Sul)”, afirmou.

Outro equívoco apontado pelo secretário da Seinfra foi a compra dos peixes antes do término da obra que, segundo Migliori, está sob a competência da Semade (Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico), que também não tem medido esforços para agilizar o conclusão do Aquário.

Gastos – O valor total da obra é uma incógnita. De acordo com Miglioli, somente na Seinfra os contratos somam R$ 170 milhões. Porém, há contratos em outras secretarias. 

A previsão inicial era gastar R$ 87 milhões no projeto, executado nos altos da avenida Afonso Pena, em Campo Grande. No total, o custo do Centro de Pesquisa e de Reabilitação da Ictiofauna Pantaneira, nome oficial do aquário, deve atingir R$ 230 milhões.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions