ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, TERÇA  25    CAMPO GRANDE 29º

Política

Sem construir nada desde 1990, entidade terá que devolver terreno ao governo

Área de cerca de 1.4 mil m² ficou parada por mais de três décadas e agora deve ser utilizada pela perícia

Gabriela Couto | 18/08/2022 11:11
Terreno fica localizado na Avenida Filinto Müler, ao lado do Instituto de Identificação do Estado. (Foto: Google Maps)
Terreno fica localizado na Avenida Filinto Müler, ao lado do Instituto de Identificação do Estado. (Foto: Google Maps)

Depois de mais de três décadas, a  área de 11.463 metros doada à Rede Feminina de Combate ao Câncer, em Campo Grande deve voltar ao governo do Estado.

O terreno da antiga fazenda Bandeirantes, localizada na Avenida Filinto Müler, no bairro Parati, foi passado para a entidade por meio de lei em 1990, que foi revogada a pedido do governo do Estado e aprovada hoje (18) pela Assembleia Legislativa em segunda votação. O texto agora segue para sanção do governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

Assim que assinado e publicado no Diário Oficial do Estado, o terreno doado em 1990, na gestão do ex-governador Marcelo Miranda, e que nunca recebeu um tijolo para sua utilização volta ao poder Executivo. A informação é que a área já terá um destino final.

Está em fase de elaboração projeto para que seja construído um prédio da perícia sul-mato-grossense. O terreno fica localizado em uma área estratégica, ao lado do Imol e do Instituto de Identificação da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública.

Segundo o governo do Estado durante muitos anos foi tentado um acordo com representantes da Rede Feminina, para que o local cumprisse seu papel original. Mas a entidade não apresentou um novo projeto.

Inclusive a área estaria sendo invadida. Sem cumprir o prazo para realizar a construção da sede e com a nova legislação que proíbe a doação de áreas sem licitação, o terreno deverá ser utilizado pelo Estado.

A reportagem procurou a assessoria de imprensa da Rede Feminina que até o momento não justificou o motivo de não ter utilizado a área. A sede da entidade fica hoje na Rua Marechal Rondon, 1053, dentro do Hospital de Câncer de Campo Grande Alfredo Abrão.

Nos siga no Google Notícias