A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 20 de Agosto de 2017

02/05/2016 17:34

Senadora de MS vê crime continuado e quer ampliar denúncia contra Dilma

Michel Faustino
Senadora Simone Tebet (PMDB) participa da Comissão do Impeachment. (Foto: Agência Senado)Senadora Simone Tebet (PMDB) participa da Comissão do Impeachment. (Foto: Agência Senado)

A senadora Simone Tebet (PMDB-MS) voltou a defender, na tarde desta segunda-feira (2), durante a reunião da Comissão do Impeachment, no Senado, a inclusão de fatos novos a serem considerados no julgamento do mérito do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). A senadora manteve o discurso afirmando que os parlamentares deveriam se debruçar também sobre as pedaladas fiscais no contexto de 2013 e 2014, bem como nas denúncias da Lava Jato.

“Trata-se de um crime continuado, portanto é preciso se debruçar também sobre esses temas que implicam diretamente com essas ações subsequentes”, lembrou durante a reunião convocada para ouvir especialistas a favor do impeachment da presidente.

A comissão ouve o professor de Direito Financeiro José Maurício Conti, o procurador Júlio Marcelo de Oliveira, do Ministério Público do Tribunal de Contas, e o presidente do Instituto Internacional de Estudos de Direito do Estado, Fábio Medina.

Impeachment - No dia 17 de abril a Câmara dos Deputados aprovou, com 367 votos favoráveis, mais do que os 342 necessários, a continuidade do processo de impedimento de Dilma Rousseff, que agora está sob análise no Senado. Se for aceito também no Senado, a presidente será afastada por 180 dias para ser julgada pelo Congresso e, neste período, o vice-presidente Michel Temer assume a Presidência.

Se ao final do processo o Congresso decidir pelo afastamento da petista, o vice segue como presidente até o final do mandato, em 2018.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions