A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 13 de Dezembro de 2018

03/05/2011 17:59

Sessão em homenagem ao Dia do Trabalho destaca 24 profissionais em MS

Fabiano Arruda

Diretor da Fiems foi um dos homenageados

Deputado Paulo Corrêa e os empresários Francisco Veloso e Sérgio Longen durante homenagem. (Foto: Divulgação)Deputado Paulo Corrêa e os empresários Francisco Veloso e Sérgio Longen durante homenagem. (Foto: Divulgação)

Deputados estaduais homenagearam, ontem à noite, durante sessão solene que comemorou o Dia do Trabalho, 24 profissionais de destaque nos mais diversos segmentos em Mato Grosso do Sul. Eles receberam a Comenda do Mérito do Trabalho Ministro Wilson Fadul, ex-deputado federal e ex-ministro da Saúde Wilson Fadul, um dos mais influentes militantes do trabalhismo no Estado.

Cada parlamentar fez uma indicação. Um dos homenageados foi o diretor da Fiems e presidente do Sindivest/MS (Sindicato da Indústria do Vestuário e Têxtil do Estado), José Francisco Veloso Ribeiro, por ter se destacado no setor industrial.

“Essa homenagem é consequência de um trabalho coordenado junto com a diretoria da Fiems”, pontuou o homenageado.

A indicação de Veloso partiu do primeiro secretário da Assembléia Legislativa, deputado estadual Paulo Corrêa (PR). O presidente da Fiems, Sérgio Longen, prestigiou o evento.

“Ele representa um segmento da indústria do Estado que mais cresceu nos últimos quatro anos”, justificou a indicação do representante de um segmento industrial estratégico na geração de empregos e que movimenta a economia de Mato Grosso do Sul.

As indústrias do vestuário e têxtil do Estado contam atualmente com 630 empresas, que juntas respondem por 12 mil empregos diretos.

Comenda - Nome da Comenda, aos 90 anos, Fadul vive no Rio de Janeiro, mas em razão da saúde frágil não pôde participar do ato, sendo representado pela neta Júlia Fadul.

A Comenda Ministro Wilson Fadul destina-se a homenagear profissionais das diferentes áreas, trabalhadores da iniciativa privada e pública, autônomos, líderes sindicais ou mesmo empreendedores com ações comprovadas em benefício da melhoria das condições de trabalho de suas empresas.

Trata-se da primeira vez que a Assembléia Legislativa realiza sessão solene para comemorar o Dia do Trabalho, data instituída em 20 de junho de 1889, em Paris, na França, onde era realizada a 2ª Internacional Socialista, congresso global de partidos e organizações de esquerda.

A escolha do 1º de maio para homenagear o trabalho se deve a um fato acontecido neste dia, no ano de 1886, na cidade de Chicago, nos Estados Unidos. Milhares de trabalhadores foram às ruas reivindicar melhores condições de trabalho, entre elas, a redução da jornada de trabalho de 13 para 8 horas diárias. Simultaneamente,os Estados Unidos paravam por conta de uma grande greve geral dos trabalhadores.

No Brasil, o 1º de maio tem sintonia direta com os trabalhadores, pois, foi nesse dia, no ano de 1940, que o então presidente Getúlio Vargas instituiu o salário mínimo. No ano seguinte, também no 1º de maio, Getúlio criou a Justiça do Trabalho, destinada a resolver questões judiciais relacionadas, especificamente, as relações de trabalho e aos direitos dos trabalhadores.



Por que não homenageiam um pedreiro ou uma empregada domestica que alem de fazerem um trabalho super dificil ainda conseguem sobreviver com um salario minimo que é uma vergonha, desumano e indecente, ao inves disso ficam homenageando esses caras que ficam o dia todo no ar condicionado dando ordens.
 
LEticia da Silva Diniz em 03/05/2011 07:32:14
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions