ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUARTA  22    CAMPO GRANDE 34º

Política

TSE suspende decisão que cassou Pedra, Delei e Thaís Helena

Por Josemil Arruda e Kleber Clajus | 18/12/2013 16:56
Pedra é um dos beneficiados e volta à Câmara de Campo Grande (Foto: arquivo)
Pedra é um dos beneficiados e volta à Câmara de Campo Grande (Foto: arquivo)

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deu efeito suspensivo à decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que havia cassado três dos quatro vereadores da Capital, garantindo com isso que Paulo Pedra (PDT), Delei Pinheiro (PSD) e Thaís Helena (PT) reassumam seus mandatos na Câmara de Campo Grande. O quarto vereador cassado ingressou com a ação cautelar ontem e ela ainda não foi julgada.

“O TSE tem outro entendimento sobre essa questão. Agradeço a Deus, meus advogados e a Justiça e com humildade retorno aos trabalhos da Câmara. Para dar continuidade às minhas atividades”, comemorou o vereador Paulo Pedra.

No site do TSE já estão publicadas as decisões sobre os vereadores Deley Pinheiro e Thais Helena. “Quanto à decisão liminar sobre mim meu advogado já confirmou que foi concedido o efeito suspensivo, mas não houve ainda publicação”, informou Pedra.

Embora ainda não tenha sido beneficiado pela decisão, Alceu Bueno comemorou hoje à tarde a liminar como se lhe fosse extensiva. “Estou comemorando porque acredito que vai me beneficiar também”, apontou Bueno.

Segundo ele, sua ação também está nas mãos do ministro Henrique Neves, do TSE. “Ele só não julgou ainda porque meu advogado entrou com a ação ontem”, revelou Alceu Bueno. Para ele, a decisão liminar referente à sua pretensão pessoal sairá “de hoje até amanhã á tarde”.

Alceu Bueno garante que sempre confiou que voltaria à Câmara. “O que Deus dá, só Deus pode tirar”, argumentou.

Novos vereadores - Com a decisão liminar que suspende as cassações, o recálulo que foi feito hoje pelo juiz da 54ª Zona Eleitoral de Campo Grande fica sem efeito, pelo menos em relação aos apontados como eleitos para substituir Pedra, Delei e Thaís Helena. Também fica prejudicada a cerimônica de diplomação, que estava prevista para amanhã, às 17h30.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário