ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SÁBADO  30    CAMPO GRANDE 17º

Política

Vereador diz que "não tem marido que vai aguentar" mulher sem salão de beleza

Wellington de Oliveira (PSDB) falava sobre serviços essenciais, como salão de beleza, quando soltou frase polêmica

Por Gabriel Neris | 07/04/2020 16:03

Ao defender a reabertura de salões de beleza em Campo Grande, o vereador Wellington Oliveira (PSDB) partiu para um tese que gerou polêmica durante sessão desta terça-feira (7) na Câmara de Vereadores de Campo Grande. “É importante à mulher fazer sobrancelha, unha e cabelo, pois não tem marido que vai aguentar” (assista abaixo), disparou.

O parlamentar questionava quais estabelecimentos eram considerados essenciais, já que os salões de beleza estão fora da lista de lugares liberados para a reabertura em Campo Grande. Segundos antes, ele havia perguntado se “igreja era essencial?”, propondo o debate na Casa de Leis, além de citar casos de violência doméstica.

“Porque se a pessoa quisesse matar a mulher e os filhos, ele vai e bate na igreja, está fechada. Daí ele fala ‘é um aviso de Deus para eu voltar lá e matar’. Então igreja é essencial, tem que criar mecanismos novos para que a igreja funcione”, discursou.

A fala do vereador provocou reação do PDT, que classificou as falas como “machistas e misóginas”. “As falas são ofensivas e incentivadoras da violência doméstica. É repugnante que um representante popular e pior, delegado de polícia civil, profira tais impropérios”, respondeu o partido.