A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

16/08/2011 16:26

Vetos de Dilma à LDO retiram R$ 700 milhões dos cofres de MS, diz Giroto

Edmir Conceição

Segundo o deputado, o prejuízo mais significativo para o Estado é o corte no texto da vinculação de recursos para ressarcimento de perdas provocadas pela Lei Kandir

O deputado federal Giroto (PR-MS), membro da Comissão de Orçamento do Congresso Nacional, criticou os vetos da presidenta Dilma Rousseff à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2012, que causam prejuízos a Mato Grosso do Sul. Foi retirado da LDO a garantia de ressarcimento dos estados com a Lei Kandir, o que vai representar perdas de cerca de R$ 700 milhões para Mato Grosso do Sul. Também foi limada a reserva de recursos para garantir o restos a pagar; cerca de R$ 6 bilhões para efetivação da emendas individuais, e a proibição de cortes de programas federais prioritários.

“A presidente está penalizando os Estados que produzem, foram retirados pontos cruciais para a economia de Mato Grosso do Sul, entre eles a garantia de ressarcimento das perdas causadas pela Lei Kandir. Hoje, o Estado recebe apenas 10% do que deixa de arrecadar por causa desta lei. Não é só isso, também foi retirado da LDO a reserva de 10% da programação financeira para o pagamento do restos a pagar. Estes vetos demonstram que o Orçamento foi feito para não ser cumprido”, afirmou Giroto, enfatizando que os “vetos da presidenta Dilma à LDO retiram R$ 700 milhões dos cofres de Mato Grosso do Sul”.

Da LDO a presidenta retirou a identificação específica das despesas relacionadas a obras do PAC; a reserva de pelo menos 10% da programação financeira para o pagamento de restos a pagar (dívidas postergadas de um ano para o outro) relativos a convênios e contratos de repasses; a garantia de 1% da receita corrente líquida, cerca de R$ 6 bilhões, para pagamento de emendas parlamentares individuais; proibição de cortes de programas prioritários, como os de combate ao uso de drogas e de violência contra a mulher, as ações de faixa de fronteira.

Mas o prejuízo mais significativo para o Estado é o corte no texto da vinculação de recursos para ressarcimento de estados e municípios que perdem receitas por conta da Lei Kandir. No ano passado, o ressarcimento de Mato Grosso do SUL foi de apenas 6,55% do total das desonerações do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), o que fez o Estado deixar de arrecadar cerca de R$ 700 milhões, de acordo com estudos da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, das Cidades, do Planejamento, da Ciência e Tecnologia. “A nossa proposta foi garantir o ressarcimento integral, por isso colocamos na LDO este direito”, diz Giroto.

Reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, diz Meirelles
A reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, de acordo com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles. A declaração foi dada na noite de...
Quanto mais reforma demorar, mais dura será correção, diz ministro
Caso o governo não consiga aprovar a reforma da Previdência ainda este ano, conseguirá em 2018, disse hoje (11) o ministro do Planejamento, Dyogo Oli...


Senhor Deputado,
e o que voces parlamentares fazem? Essa nossa presidente está se monstrando mesmo uma ditadora, porém, eu nao sei o que acontece que o senado federal e a camara dos deputados nao fazem nada. Ela nao libera emendas, nao repassa convenios, nao atende parlamentares.....mas e ai?
Todos continuam votando o que o Governo quer, entao meu nobre deputado....voces sao submissos ao poder executivo.
Amem
 
arnaldo de barros malta em 16/08/2011 09:02:54
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions