ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUARTA  20    CAMPO GRANDE 19º

Reportagens Especiais

Quer uma árvore em casa? Veja quais as espécies indicadas para a sua região

Recomendações sobre a espécie, porte e modos de plantio são feitas pela Semadur

Por Aletheya Alves | 21/09/2021 08:05
Árvores tomam conta de praça no Jardim Batistão e exemplificam alta arborização na Capital. (Foto: Paulo Francis)
Árvores tomam conta de praça no Jardim Batistão e exemplificam alta arborização na Capital. (Foto: Paulo Francis)

Além da beleza, ficar sem uma árvore na Capital fica ainda mais complicado durante os dias de calor extremo. Pensando na sombra fresca, o Campo Grande News preparou um “manual” neste Dia da Árvore (21), sobre quais espécies plantar em cada região da cidade, além de reunir dicas para arborização no quintal de casa.

Orgulho geral, a presença de árvores ganha destaque tanto em pesquisas quanto nas falas dos campo-grandenses. É importante, entretanto, destacar que para chegar até o momento de “sombra e água fresca”, os moradores devem se atentar às regras para plantio em calçadas (passeio público) e observar quais espécies são indicadas para cada região da cidade.

Plantio de árvores em calçadas devem seguir orientações da Semadur. (Foto: Paulo Francis)
Plantio de árvores em calçadas devem seguir orientações da Semadur. (Foto: Paulo Francis)

Entre a variedade de espécies disponível para escolha, a Semadur (Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Gestão Urbana) indica algumas árvores, que são mais recomendadas para cada região da Capital. A seleção prioriza espécies nativas que conseguem se adaptar ao ambiente urbano, além do clima. Confira o mapa abaixo:

(Arte: Henrique Lucas/Campo Grande News)
(Arte: Henrique Lucas/Campo Grande News)

Separadas por sub-regiões, a Semadur recomenda espécies de pequeno, médio e grande porte para plantio em calçadas. O porte de cada árvore deve ganhar destaque, pois é necessário levar em conta fatores como o tamanho da calçada, localização de construções, postes, instalações subterrâneas, entre outros.

Além das espécies gerais recomendadas, a secretaria também disponibiliza uma listagem, separada por sub-regiões, de árvores indicadas para experimentação. São exemplos o barbatimão no Centro, cerejeira no Imbirussu e jequitibá no Prosa.

Ipês são recomendados pela Semadur para plantio em calçadas. (Foto: Arquivo/Gabriela Couto)
Ipês são recomendados pela Semadur para plantio em calçadas. (Foto: Arquivo/Gabriela Couto)

Treze espécies não são indicadas para arborização em calçadas, de acordo com a Semadur. Entre elas, estão árvores frutíferas por haver risco de acidentes pela queda de frutos grandes, coroa-de-cristo por ter espinhos e ser tóxica, ficus devido ao látex e palmeiras por possuírem folhas muito grandes.

Informações sobre as condições de calçada, indicação de plantio e listagem completa de sugestões para cada sub-região podem ser consultadas no Guia de Arborização Urbana de Campo Grande, da Semadur, neste link.

Além do guia disponibilizado, a secretaria recomenda que a população solicite uma orientação técnica por parte da Semadur e, assim, realize o plantio adequado à calçada ou quintal. O número para contato é (67) 4042-1323, ramal 2743.

No quintal - Além da beleza nas ruas, ter árvores no quintal de casa traz opções de paisagismo e, em caso de frutíferas, o acesso a frutas direto do pé. Arquiteta e paisagista, Sidamar Ribeiro, de 49 anos, explica que os moradores podem optar tanto pelo plantio direto no solo quanto em vasos.

Jabuticabeira é destacada por arquitetos como árvore para obter colheita e decoração. (Foto: Studio Vertice)
Jabuticabeira é destacada por arquitetos como árvore para obter colheita e decoração. (Foto: Studio Vertice)

De acordo com Sidamar, o uso de vasos costuma ser utilizado quando o morador não possui uma área grande no quintal ou deseja controlar o crescimento. Exemplo de possibilidade para plantio em vasos, uma das frutíferas favoritas da arquiteta, a jabuticabeira é considerada também ornamental, “ela também é usada como barreira para ajudar com sonorização dos carros, por exemplo, e outros barulhos”, explica.

No caso de plantio em vasos, a arquiteta diz que é necessário ter cuidado com drenagem, compostos orgânicos para o solo e atenção com a manutenção.

Pé de laranja quincã foi plantado em vaso e é opção para economizar espaço. (Foto: Studio Vertice)
Pé de laranja quincã foi plantado em vaso e é opção para economizar espaço. (Foto: Studio Vertice)

Manutenção - Outro ponto a ser destacado durante a escolha da árvore, tanto para calçada quanto no quintal de casa, é a manutenção que será empregada. Arquiteto urbanista, Vinicius Vilela, de 27 anos, explica que algumas espécies perdem todas as folhas, gerando maior trabalho e perda da sombra durante alguns períodos do ano.

Não recomendada para quem deseja ter sombra o ano inteiro, de acordo com Vinicius, a jasmim-manga perde todas as folhas, “uma boa indicação é o flamboyant, quaresmeiras, manacá do jardim”, diz. Outra questão explicada pelo arquiteto é que, para quem não quer esperar anos para ver a árvore grande, a indicação é comprar a espécie já maior.

Árvores em condomínio no Bairro Monte Castelo são exemplos de sombra. (Foto: Direto das Ruas)
Árvores em condomínio no Bairro Monte Castelo são exemplos de sombra. (Foto: Direto das Ruas)

“É necessário ter um cuidado grande até a árvore crescer e, por termos um calor muito forte, as árvores podem morrer fácil. Então, a indicação é comprar já maior e cuidar bastante, porque dependendo da forma com que ela é cuidada, pode crescer mais rapidamente ou lentamente”, o arquiteto explica.

Retomando a indicação do uso de vasos, Vinicius ressalta que é possível construir um ambiente de sombra a partir de várias árvores de porte não tão grande. Por isso, ele explica que a estratégia ajuda tanto na facilidade em controlar o tamanho da espécie quanto na possibilidade de garantir a arborização em qualquer local.

Árvore no Bairro Monte Castelo com flores amarelas. (Foto: Direto das Ruas)
Árvore no Bairro Monte Castelo com flores amarelas. (Foto: Direto das Ruas)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário