A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 18 de Agosto de 2018

26/10/2017 09:17

Alunos do ensino médio criam bengala eletrônica para deficientes

Paulo Nonato de Souza
Bengala eletrônica no braço de um dos cinco alunos de escola do Sesi; dispositivo será apresentado em Campo Grande no mês de novembro (Foto: Sesi/Divulgação)Bengala eletrônica no braço de um dos cinco alunos de escola do Sesi; dispositivo será apresentado em Campo Grande no mês de novembro (Foto: Sesi/Divulgação)

Bengala eletrônica, dotada de sensores programados para apitar no momento em que o deficiente visual se aproxima de algum tipo de barreira. A novidade foi desenvolvida por alunos do ensino médio da Escola do Sesi de Corumbá e apresentada na Feira de Ciência e Tecnologia do Pantanal.

Batizada de “Olho de Agamotto”, objeto de ficção mística das histórias em quadrinhos, o dispositivo eletrônico para guiar deficientes visuais recebeu o prêmio de melhor projeto multidisciplinar na Feipan, que valeu aos alunos envolvidos no projeto a conquista de credenciais para expor o trabalho na Febrace (Feira Brasileira de Ciências e Engenharia), que será realizada em São Paulo no mês de março de 2018.

Antes, o projeto será apresentado na Fetec/MS (Feira de Tecnologia, Engenharias e Ciências de Mato Grosso do Sul), promovida pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) no período de 7 a 11 de novembro.

Com a bengala eletrônica a ideia é de que os deficientes visuais terão melhor condições de caminhar pelas ruas, por exemplo, sem depender de piso tátil e de equipamentos sonoros instalados nos semáforos.

Na ficção, o “Olho de Agamotto” permite a quem o carrega percorrer distâncias e dissipar disfarces e ilusões, enquanto no caso do protótipo desenvolvido pelos alunos do Sesi ele conta com um sistema de GPS integrado e sensores programados para indicar os comandos sonoros que serão transmitidos para o deficiente visual.

“Não é necessário um pacote de internet móvel para a programação funcionar. São satélites de GPS que oferecem para o receptor do Olho de Agamotto a sua posição e destino final”, explicou Adilson Corrêa Júnior, da 3ª série do Ensino Médio, um dos cinco alunos responsáveis pelo desenvolvimento do projeto.

Câmara vai discutir uso de tecnologias em audiência sobre Smart City
A Câmara Municipal de Campo Grande discute em audiência pública a chamada Smart City, na sexta-feira, dia 20. O evento começa às 9 horas no Plenário ...
Programa do Senai e do Sesi vai pagar R$ 300 mil por ideia inovadora
Indústrias que buscam recursos para desenvolver produto, processo ou serviço inovador em Mato Grosso do Sul podem receber R$ 300 mil de financiamento...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions