A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 22 de Setembro de 2018

09/02/2018 11:21

Mês do Carnaval já tem uma morte em acidente a cada 2 dias na Capital

Do início do mês até agora, o Corpo de Bombeiros realizou cerca de 109 atendimentos, deste total, 7 atropelamentos e 20 quedas de moto

Danielle Valentim
Na manhã de segunda-feira, um motociclista morreu depois uma queda, ao passar por um buraco na rua Antônio Rahe, perto do Parque Sòter. (Foto: Miriam Machado)Na manhã de segunda-feira, um motociclista morreu depois uma queda, ao passar por um buraco na rua Antônio Rahe, perto do Parque Sòter. (Foto: Miriam Machado)

Fevereiro mal completou 9 dias e já tem cinco mortes no trânsito em Campo Grande. É uma vítima dos acidentes a cada dois dias. Em média, segundo o Corpo de Bombeiros, são cerca de 100 atendimentos diários nesse período.

Entre os atendimentos realizados pelo Corpo de Bombeiros, atropelamentos, colisões, quedas de moto e bicicletas são os mais comuns.  Foram sete atropelamentos e 20 quedas de moto em apenas 9 dias.

A primeira morte do mês em decorrência da violência no trânsito, foi a de Bianca Amaral Nogueira, de 3 anos, atropelada na noite do dia 3 de fevereiro, na Vila Popular - região oeste de Campo Grande. A menina faleceu no domingo (4) na Santa Casa, onde ficou internada. O caso é investigado pela Polícia Civil.

Na segunda-feira (5), o motociclista Alexandre Matos Neves, 45 anos, morreu após colidir em carro e poste de energia elétrica na Rua Antônio Rahe, próximo ao Parque do Sóter, na Mata do Jacinto.

Na mesma manhã, Teodorico Júlio Henrique de 63 anos morreu após colidir a bicicleta que conduzia na traseira de um Fiat Uno, no Jardim Presidente. O idoso sofreu duas paradas cardíacas durante o socorro.

Na quarta-feira (7), Calina Guenka, 79 anos, morreu após 26 dias internada na Santa Casa. A idosa havia sido atropelada no dia 11 de janeiro, na Rua 14 de Julho, no Centro de Campo Grande, mas entrou na estatística de fevereiro.

O motociclista Thompson Flávio Martins da Silva, de 40 anos, que precisou amputar a perna após ser atingido por Fiat Siena no cruzamento das Ruas Euclides da Cunha e Bahia, no Jardim dos Estados, não resistiu aos ferimentos e morreu por volta das 19h30 desta quinta-feira (8), na Santa Casa. O paciente, que sofreu múltiplas fraturas, estava sedado e entubado na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) do Hospital.

Em Mato Grosso do Sul, a corporação é dividida em CMB (Comando Metropolitano de Bombeiros), que atende Campo Grande e região, e CBI (Comando de Bombeiros do Interior), que atende os demais municípios.

Balanço de casos registrados no Sigo (Sistema Integrado de Gestão Operacional), e atendidos pelas equipes de militares, somam uma média de 109 ocorrências. A assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros pontua que o número não é exato, pois se trata de um sistema online e os números podem se alterar.

Na terça-feira, acidente no cruzamento da Euclides da Cunha com Bahia deixou motociclista gravemente ferido e ele acabou morrendo na noite desta quinta-feira. (Foto: Lucimar Couto)Na terça-feira, acidente no cruzamento da Euclides da Cunha com Bahia deixou motociclista gravemente ferido e ele acabou morrendo na noite desta quinta-feira. (Foto: Lucimar Couto)
Idosa de 79 anos atropelada na 14 de Julho morre na Santa Casa
Após 26 dias internada na Santa Casa, Calina Guenka, 79 anos, morreu na madrugada desta quarta-feira (7), em decorrência de um atropelamento que acon...
Criança de 3 anos atropelada por motocicleta morre na Santa Casa
Uma criança de três anos que foi atropelada na noite de sábado (3) na Vila Popular - região oeste de Campo Grande - morreu neste domingo (4) na Santa...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions