ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, QUARTA  25    CAMPO GRANDE 32º

Lugares por Onde Ando

Em MS, 103 destinos turísticos pediram selo de lugar seguro

Por Paulo Nonato de Souza | 07/07/2020 07:12
O selo do Ministério do Turismo pretende ser referência para escolha da viagem e tem que ser exposto em lugar visível (Foto: Reprodução)
O selo do Ministério do Turismo pretende ser referência para escolha da viagem e tem que ser exposto em lugar visível (Foto: Reprodução)

Em todo o Brasil, mais de oito mil prestadores de serviços turísticos já solicitaram o selo “Turismo Responsável - Limpo e Seguro”, uma espécie de certificado de boas práticas de higienização para cada segmento do setor no combate à pandemia de coronavírus. Nessa lista estão 103 destinos de Mato Grosso do Sul que pediram o carimbo do Ministério do Turismo.

Lançado na segunda quinzena de junho, como primeira etapa do Plano de Retomada do Turismo Brasileiro, do Ministério do Turismo, o selo pretende ser uma referência aos turistas na hora de escolher seus destinos de viagem e se sintam seguros ao se hospedar e frequentar locais que cumpram protocolos específicos para a prevenção da Covid-19.

As agências de viagem (3.110) lideram os segmentos com maior número de solicitações do selo. Na sequência aparecem os meios de hospedagem (2.239) e transportadoras turísticas (970).  São Paulo (2.011), Rio de Janeiro (1.312), Minas Gerais (753), Bahia (536) e Santa Catarina (422) são os estados que registraram a maior adesão à iniciativa até o momento.

“O sucesso do selo comprova que estamos no caminho certo para o início das atividades do nosso setor, que foi tão afetado por esta pandemia. Fomos um dos dez países em todo o mundo que tiveram essa preocupação em apresentar esse selo que atenderá aos anseios do setor e dos turistas, que estarão mais atentos aos protocolos de biossegurança”, comentou o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.

Além de agências de viagens, hotéis e empresas transportadoras de turismo, o selo de garantia de higienização está disponível também para outros segmentos, como empresas de organização de eventos, parques temáticos, acampamentos turísticos, restaurantes, cafeterias, bares e similares, parques temáticos aquáticos, locadoras de veículos para turistas e guias de turismo.

Com liberação gratuita, o selo deve ser colado em local de fácil acesso ao cliente e contendo um QR Code pelo qual o turista poderá consultar as medidas adotadas por aquele empreendimento. Além disso, possibilita o turista fazer denúncias em caso de descumprimento das medidas sanitárias, o que poderá resultar em revogação do selo.

Para ter acesso ao selo, as empresas e guias de turismo precisam estar inscritos no Cadastur (Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos). A solicitação pode ser feita no site oficial “Turismo Responsável - Limpo e Seguro”, e no caso de aprovação o solicitante recebe a declaração de que atende aos pré-requisitos de segurança contra o coronavírus.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário