A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 21 de Outubro de 2019

07/06/2018 16:37

A Medicina e o Whatspp – uma relação ainda duvidosa?

Edson Batista de Lima

Muito se tem falado ultimamente sobre o fenômeno das redes sociais e suas influências em nossa prática médica. Realmente , temos visto situações adequadas e coisas de extremo mau gosto em todos os canais, principalmente aquelas inserções de caráter mais comercial, vindas de certos países ao norte do mundo , onde tudo é permitido e liberado.Mas algumas coisas como o “whats”, já se incorporaram tanto em nossa vida que gera dúvidas sobre o modo que devemos usar em nossa prática como médicos.

Para responder, não precisamos ser tão conservadores e ter textos tão rebuscados quanto os advogados ou conselheiros, mas explicar claramente que nos bastam apenas duas palavras – BOM SENSO! Isso por si só explica as regulamentações. De forma prática, os pontos que o médico deve seguir são os seguintes:

Avise já na primeira consulta se você se utiliza do Whatsapp, e se for o caso até registre no prontuário.

Caso você não esteja disponível para responder rápido, como, por exemplo, os cirurgiões, que estejam atuantes, avise aos pacientes ou deixe mensagens fixas como – Respostas apenas após as 17 h.”

Mensagens de texto jamais substituem uma consulta presencial, óbvio, mas tem pessoas que precisam ser esclarecidas...

Quando você já conhece bem o caso poderá dar melhores informações, claro.! Sempre pode existir algo de adequado a recomendar até o retorno presencial com você.

Logicamente, servirá para relembrar os pacientes do compromisso de comparecerem com você no dia e horário agendados. Nessa vida moderna, todo mundo esquece de tudo...

Pois é, não há como escapar às novidades! E, mesmo aos colegas mais resistentes, recomendo que reestudem a situação. Lembrem- se que o bom uso delas, além de evitar problemas, ajuda a deixar o paciente com melhor sensação de acolhimento e muito mais próximos do médico, melhorando a relação para ambos os lados!! Não é isso que queremos?

Edson Batista de Lima, Cirurgião Plástico, é graduado em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e fez Residência Médica em Cirurgia Geral pela Irmandade da Santa Casa de São Paulo e em Cirurgia Plástica pela Faculdade de Medicina da Fundação do ABC. É Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e da Federação internacional Latino-Americana de Cirurgia Plástica – FILACIP. É médico da Unidade de Tratamento de Queimados do Hospital São Mateus - São Paulo.

Antônio Baiano – Um Gigante
Roseli Marla, minha cunhada querida, neste momento de profunda tristeza que todos estamos vivendo com a morte prematura do nosso querido Antônio Baia...
Projeto de lei pretende punir quem ocultar bens no divórcio
Quem milita na área do Direito de Família está, infelizmente, mais do que acostumado a se deparar com inúmeros expedientes para fraudar o direito à m...
Internet, Vínculos e Felicidade
A cada dia estamos passando mais tempo em celulares e computadores. Tanto que muitas vezes, quando maratonamos seriados, até a televisão pergunta: "t...
Origem espiritual da Profecia
Em minha obra Os mortos não morrem, transcrevo estudos abalizados e relatos interessantíssimos sobre a realidade da vida após o fenômeno chamado mort...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions