A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 13 de Outubro de 2019

16/04/2016 15:00

É possível transferir contas de FGTS?

Por Gládis Ribeiro (*)

O produtor rural Pessoa Física pode tornar-se empregador através da criação de uma matrícula no Cadastro Específico do INSS (CEI) para cadastrar seus funcionários e, nesse aspecto, operar de forma similar a um CNPJ. No entanto, diante dessa possibilidade surge uma dúvida: o que acontece com esses funcionários caso esse empregador faleça ou se divorcie?

É comum ouvirmos falar que nesses casos a única opção seria demitir os funcionários e cadastrá-los na matrícula de quem está assumindo a atividade, visto que transferir o FGTS na Caixa Econômica Federal seria muito difícil. Entretanto, dependendo do caso, essa não é a única saída.

O Manual de Orientações Retificação de Dados, Transferência de Contas Vinculadas e Devolução de Valores Recolhidos a Maior, disponibilizado pela Caixa Econômica Federal aborda, no capítulo V, a transferência de contas do FGTS. O procedimento pode ser realizado em caso de separação ou falecimento do titular da matrícula CEI desde que os trabalhadores permaneçam exercendo as mesmas atividades e no mesmo local de trabalho.

Transferir contas consiste em transportar o saldo, bem como informações de base para fins rescisórios, entre outras, de uma conta para outra. O procedimento de transferência inicia no cadastramento dos funcionários na matrícula CEI de destino, que deve ter o mesmo endereço da matrícula original.

Para o pagamento do primeiro FGTS nessa nova situação, é necessário informar a movimentação do trabalhador no Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social (Sefip) do novo empregador. Essa informação é imprescindível também para o empregador que está transferindo, visto que a situação do trabalhador em processo de transferência precisa ser encerrada na inscrição antiga.

Como consequência desse processo será aberta uma nova conta na Caixa e, a partir de então, será possível dar encaminhamento à transferência do FGTS, apresentando os seguintes documentos em alguma agência da Caixa:

- Formulário do Pedido de Transferência de Contas (PTC): no caso em questão é aplicável apenas o PTC Total, ou seja, a transferência é feita para todos os funcionários daquela inscrição;
- Carteira de Trabalho: cópia autenticada da página onde consta anotação de assunção de encargos trabalhistas e da página de contrato de trabalho assinada pelo novo empregador;
- Cópia autenticada das duas matrículas CEI envolvidas;
- Cópia autenticada de documento que comprove a relação entre os titulares: comprovante de endereço de pessoas que moram juntas, comprovante de casamento, comprovante de filiação, entre outros;
- Relatório de contas com inconsistências cadastrais do empregador de origem e destino, comprovando que não há registro de inconsistência nem na conta do FGTS e nem no PIS do empregado.

Importante salientar que o processo de transferência tem continuidade nas rotinas de departamento de pessoal, tanto para o empregador transferidor quanto para o receptor, pois é indispensável informar no registro dos empregados e nas demais declarações, como no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Ao enfrentar momentos delicados, como a perda de um ente querido ou um divórcio, é preciso que os membros do negócio familiar tomem determinadas providências. Nós da Safras & Cifras, empresa que há 26 anos assessora o produtor rural em aspectos como planejamento sucessório e governança em empresas familiares rurais, orientamos quanto à possibilidade de realizar, nos casos citados acima, a transferência de funcionários, evitando com isso opções mais onerosas para o empregador, como o pagamento de rescisão e multa do FGTS para todos os funcionários.

(*) Por Gládis Ribeiro, Juliana Weege e Nathalia Martins

As lições a serem aprendidas com o lago do Parque das Nações Indígenas
“Nesta terra molhada”, após 5 meses com inúmeras iniciativas, do governo e sociedade, o lago artificial do Parque das Nações está voltando a produzir...
Gestão pública é o caminho contra a corrupção
A corrupção é pré-requisito do desenvolvimento, já dizia Gunnar Myrdall, Prêmio Nobel de Economia, em 1974. Ou seja, esse mal é algo comum e enraizad...
A virtude da temperança
Não haverá Paz duradoura enquanto prevalecerem privilégios injustificáveis, que desonram a condição humana, pela ausência de Solidariedade, que deve ...
MS: Um novo salto de desenvolvimento
A história de Mato Grosso do Sul não é uma linha reta. Ela vem sendo escrita, no curso do tempo, por diferentes protagonistas, por meio de um caminho...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions