A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Outubro de 2019

09/08/2017 11:44

Como proteger meu filho quando não estou por perto

Por Fabiany Lima (*)

Notícias sobre a negligência de um funcionário que deixou o portão aberto e a criança saiu sozinha da escola, alguém que se distraiu e a criança desapareceu enquanto brincava no quintal de casa ou uma brincadeira entre alunos que acaba em tragédia, infelizmente isso pode acontecer com qualquer pessoa, com a vizinha, com você, com seu filho. E o que fazer a respeito, como prevenir ou proteger nossos filhos dessas situações que podem ter um final desastroso?

Com informação e orientação, a melhor proteção que a criança tem quando está sozinha é a sua formação, seus valores e seu conhecimento. Esses fatores vão determinar a forma como ela vai reagir caso seja convidada a dar um passeio sem autorização dos pais ou dos responsáveis, se um estranho oferecer um doce ou se um coleguinha fizer um desafio que a coloque em risco.

Crianças passam por muitos desafios emocionais como a vontade de se mostrarem independentes, o medo de desapontarem os adultos ou a necessidade de se sentirem socialmente aceitas. Mas é importante entender que esses sentimentos são normais e que a criança precisa saber como lidar com eles. É difícil falar hipoteticamente, expô-las às notícias e fatos reais pode ser um pouco chocante, então como encontrar o jeito certo de fixar a informação sem ter o risco de que a criança decida fazer exatamente o contrário em um momento de raiva?

Informação indireta é uma maneira de resolver esse impasse, disponibilizar conteúdo, leituras, ambientes que façam com que a criança possa descobrir sozinha o que deve ou não fazer e onde ela tenha oportunidade, de forma controlada e segura, de se ver em situações de decisão. Dessa forma, ela pode e deve usar sua base intelectual e moral para seguir em uma direção ou outra.

O papel dos pais é de orientar, guiar e preparar. Não dá para viver a vida dos seus filhos, coloca-los em uma redoma, porque em algum momento eles vão estar "sozinhos". Seja na escola ou dentro de casa, vão aparecer situações de perigo inimagináveis e se a criança não tiver noção do perigo, de responsabilidade e de personalidade, será muito difícil evitar um problema. Pode ser que nunca aconteça, mas se acontecer, você vai preferir que seu filho esteja preparado.

Dê para seu filho o que ele realmente precisa: amor e informação.

(*)Fabiany Lima é fundadora do Timokids, aplicativo multilíngue de educação que ajuda pais e professores, por meio de histórias e jogos, a conversar com as crianças sobre questões importantes que devem enfrentar durante o crescimento.

Um olho no peixe, outro no gato
O agro brasileiro poderia ser bem mais assertivo em sua comunicação com os mercados, aqui e no exterior. Falar mais das coisas boas que faz, seguindo...
Como transformar a nossa relação com a natureza?
Falar em meio ambiente não é algo abstrato. Se traduz no ar puro que respiramos, na água que bebemos e na fauna e flora que nos cercam. Somos depende...
Sem comunicação não há evolução
Os líderes do agronegócio hoje concordam que precisamos dialogar muito mais com a sociedade urbana, pois sem isso não teremos aderência nas necessida...
A Ciência e o desenvolvimento: o óbvio que deve ser lembrado
Um país só se desenvolve se tiver ciência sólida que se transforme em tecnologia empregada pelo setor produtivo. Isso tem sido sobejamente demonstrad...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions