A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 21 de Novembro de 2017

17/01/2011 11:52

Economizar: a melhor forma de começar 2011 com o pé direito

Por Amerson Magalhães (*)

Depois das eufóricas compras de Natal e das merecidas comemorações de Ano Novo é o momento de pensar em colocar em prática os projetos sonhados para 2011. Mas a grande questão é como capitalizar tais planos e ao mesmo tempo resistir a tantas tentações da moderna sociedade com a demanda por consumo e bem-estar. As possibilidades são tão sedutoras que fazem brilhar os olhos e saltar os cartões de crédito para comprar.

É heróico parar por um instante e, simplesmente, não gastar além do limite que o bolso permite. Embora hoje possamos desfrutar de todo o conforto e a facilidade do crédito para consumo, o excesso de endividamento pode comprometer a saúde financeira do consumidor. Em outras palavras, é bom gastar, mas melhor ainda é poder gastar com responsabilidade e prudência, pensando no futuro.

Para isso, a melhor forma de começar 2011 com o pé direito é economizar. E se o objetivo do Ano Novo é realizar projetos, será imperativo, mais do que economizar, investir o seu dinheiro. Há diversas opções disponíveis no sofisticado mercado financeiro brasileiro. Para realizar a função social de informar, o Easynvest oferece gratuitamente um curso completo de educação financeira que busca formar novos investidores através da campanha “Começando do Zero”.

É essencial que jovens entre 18 e 23 anos conheçam princípios básicos sobre como controlar suas finanças pessoais e como cortar gastos desnecessários do orçamento. A formação financeira de um cidadão que busca um futuro de tranqüilidade e conforto passa necessariamente por diversas etapas.

A primeira delas, com certeza, é ganhar dinheiro – se ainda não se ganha – ou ganhar mais dinheiro, conquistando fontes extras de receita, seja no trabalho atual ou em outros adicionais. Aumentar a receita é um estímulo natural do perfil empreendedor de quem deseja realizar futuros projetos.

A segunda etapa é poupar, ou seja, gastar menos em relação ao que se arrecada e evitar dívidas que geram gastos expressivos com juros. O sentimento de responsabilidade transforma o poupador dando-lhe capacidade de adquirir sua independência financeira.

A próxima etapa, e a que exige mais dedicação e informação, é saber investir o dinheiro economizado, pois isso requer habilidade para perceber riscos e oportunidades no mercado financeiro. Conhecimento é chave principal do sucesso do ser humano, daí a necessidade e a importância da educação financeira durante a vida.

A etapa conclusiva, após acumular capital para realizar seus projetos, é entender que a felicidade de saber aproveitar a vida com responsabilidade está em todo o projeto e não apenas na realização final de um sonho. Só com esse conhecimento humano será possível compreender porque renovamos nossas energias e esperanças a cada obstáculo vencido e também com o começo de um ano.

(*) Amerson Magalhães é graduado em ciências econômicas e pós graduado em finanças.

O roubo amago do cedro!
A história de um país que remete-nos a antiguidade histórica também leva-nos a homenagear nesse 22 de novembro a história de um povo que carrega em s...
Quando tudo podemos, o que queremos?
A feminilidade atual convive com o tempo e não é obscurecida pela maturidade, ao invés, resplandece, iluminada por uma luz que transcende os modelos ...
Imposto sindical e o fim da sua obrigatoriedade
O “imposto sindical”, assim denominado pela CLT no atual artigo 578, é uma contribuição obrigatória devida por todos aqueles que participarem de uma ...
Baile do desespero e do improviso
Quando começo uma visita hospitalar como palhaço, experimento um puro e sincero estado de desespero. Há 16 anos faço isso com certa frequência e, fel...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions