A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 20 de Junho de 2018

12/11/2013 08:37

Homenagem a um professor e à sua classe

Por Ruy Sant’Anna e José Fernando Peralta (*)

Hoje peço licença para a viúva de meu amigo Fernando Peralta Filho, a Maria José Peralta, a fim de unir meu orgulho ao da família do caro Fernando para prestar-lhe uma homenagem póstuma, mas ainda viva e pulsante em nossas lembranças pelo que foi o homem, o profissional, o esposo, o pai, avô e leal amigo.

Tomo esta atitude ao publicar, aqui no Campo Grande News, o pronunciamento do jovem arquiteto José Fernando Peralta, em nome dele próprio, de sua mãe Maria José Peralta e demais familiares e parentes. A família Peralta, representada pela sua mãe e avó Maria José (Zezé), ao emprestar o nome de seu querido esposo, atendeu à solicitação do governador Puccinelli, ao denominar o Centro de Línguase Libras (Língua Brasileira de Sinais) de Mato Grosso do Sul Professor Fernando Peralta Filho.

PALAVRAS SOBRE O FERNANDO.
Falar aqui hoje sobre o Professor Fernando Peralta, meu pai, amigo e companheiro, é algo que me causa um misto de dor, saudade e alegria.

Num primeiro momento, quando recebi esta incumbência de falar algumas palavras sobre o Professor PERALTA, como costumavam chamá-lo, pensei que talvez eu não fosse a pessoa mais indicada para fazê-lo, pois temia ser parcial, uma vez que estaria falando do meu pai. Porém, um sentido muito maior tomou conta de mim: o de um cidadão que sou, e que acompanhei embora com um olhar menos analítico, o dia a dia do Fernando, cidadão dedicado à educação, ao serviço público, como Professor, Diretor, delegado Regional de Ensino, Diretor Executivo da Fundação Estadual de Educação...

Nosso Fernando era um homem inquieto. Queria sempre aprender, principalmente, conhecer o cenário jurídico do mundo das leis, e por conta disso, Acabou se formando em Direito, área que lhe permitiu atuar em órgãos estaduais de Administração, mas sempre com um olhar atento às questões dos direitos dos professores.

O Fernando tinha um coração solidário, uma alma cheia de energia, uma palavra de incentivo a quem o procurava. Difícil vê-lo desanimado.

Nossa casa estava sempre cheia de filhos, netos, parentes e amigos, em reuniões de confraternização, onde não podia nunca faltar a legítima música paraguaia, para que sua terra natal, Ponta Porã, continuasse a fazer sempre parte de suas fronteiras geográficas e emocionais.

E hoje neste dia tão especial, agradeço ao governo do Estado de Mato Grosso do Sul, nesta gestão do Dr. André Puccinelli, à Secretaria Estadual de Educação, que tem à frente a professora Nilene Badeca da Costa e à todos aqui presentes em nome de toda Família Peralta por esta homenagem que muito nos orgulha.
Obrigado.
JOSÉ FERNANDO PERALTA

-Tenho certeza que, se pudesse, o professor e meu amigo Fernando Peralta agradeceria ao governador André Puccinelli e à secretária de Estado de Educação, Maria Nilene Badeca da Costa por essa marcante oportunidade de se perpetuar junto aos professores e alunos do CEL, categorias que tanto amou e fez o que pode por elas em vida. Portanto, essa é uma justa homenagem a um professor e à sua classe. Assim, pelo carinho, zelo e amor que existiu entre o Fernando e a Zezé, sobretudo por sua esposa e filhos terem sido as colunas de sua sustentação e impulsionadores de seus sonhos, lhes dou hoje bom dia, o meu bom dia pra vocês.

(*) Ruy Sant’Anna e José Fernando Peralta, respectivamente, ornalista e advogado.

Servidor público da Previdência Social
Os servidores da Previdência Social, em especial aqueles que trabalham no INSS, estão totalmente sem norte, em virtude das mudanças políticas promovi...
A receita da sorte
Somos seres dependentes da repetição. Desde nossos processos biológicos à necessidade de se estipular uma rotina mínima para que a civilização funcio...
Condução coercitiva e os aspectos jurídicos
Em que pese tratar-se de temática absorta pela legislação processual penal desde a década de 40 (especificamente 1942, quando da entrada em vigor do ...
A carne mais barata do mercado é a carne negra
Os números apresentados pelo Atlas da Violência de 2018 mostram a agudização nas tendências do perfil de assassinatos cometidos no Brasil: a vítima é...


Ruy Sant`Anna

Se falares da tua saudade, entenderei. Mas se escreveres sobre ela, sentiremos junto contigo.
Se a tristeza vier a te consumir e me contares, eu saberei. Mas se descreveres num papel, o seu peso será menor.

E assim são as palavras escritas: Possuem um magnetismo especial, libertam, acalentam, invocam emoções.
marcando momentos que serão eternamente revividos por todos aqueles que à lerem.
Use a palavra a todo instante, de todas as maneiras. Sua força é imensurável. Lembre-se sempre do poder de suas palavras.

Quem escreve constrói um castelo;
E quem lê passa a Habitá-lo...
Um grande abraço..
José Fernando Peralta
 
José Fernando Peralta em 12/11/2013 17:15:42
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions