A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 27 de Fevereiro de 2017

12/11/2013 08:37

Homenagem a um professor e à sua classe

Por Ruy Sant’Anna e José Fernando Peralta (*)

Hoje peço licença para a viúva de meu amigo Fernando Peralta Filho, a Maria José Peralta, a fim de unir meu orgulho ao da família do caro Fernando para prestar-lhe uma homenagem póstuma, mas ainda viva e pulsante em nossas lembranças pelo que foi o homem, o profissional, o esposo, o pai, avô e leal amigo.

Tomo esta atitude ao publicar, aqui no Campo Grande News, o pronunciamento do jovem arquiteto José Fernando Peralta, em nome dele próprio, de sua mãe Maria José Peralta e demais familiares e parentes. A família Peralta, representada pela sua mãe e avó Maria José (Zezé), ao emprestar o nome de seu querido esposo, atendeu à solicitação do governador Puccinelli, ao denominar o Centro de Línguase Libras (Língua Brasileira de Sinais) de Mato Grosso do Sul Professor Fernando Peralta Filho.

PALAVRAS SOBRE O FERNANDO.
Falar aqui hoje sobre o Professor Fernando Peralta, meu pai, amigo e companheiro, é algo que me causa um misto de dor, saudade e alegria.

Num primeiro momento, quando recebi esta incumbência de falar algumas palavras sobre o Professor PERALTA, como costumavam chamá-lo, pensei que talvez eu não fosse a pessoa mais indicada para fazê-lo, pois temia ser parcial, uma vez que estaria falando do meu pai. Porém, um sentido muito maior tomou conta de mim: o de um cidadão que sou, e que acompanhei embora com um olhar menos analítico, o dia a dia do Fernando, cidadão dedicado à educação, ao serviço público, como Professor, Diretor, delegado Regional de Ensino, Diretor Executivo da Fundação Estadual de Educação...

Nosso Fernando era um homem inquieto. Queria sempre aprender, principalmente, conhecer o cenário jurídico do mundo das leis, e por conta disso, Acabou se formando em Direito, área que lhe permitiu atuar em órgãos estaduais de Administração, mas sempre com um olhar atento às questões dos direitos dos professores.

O Fernando tinha um coração solidário, uma alma cheia de energia, uma palavra de incentivo a quem o procurava. Difícil vê-lo desanimado.

Nossa casa estava sempre cheia de filhos, netos, parentes e amigos, em reuniões de confraternização, onde não podia nunca faltar a legítima música paraguaia, para que sua terra natal, Ponta Porã, continuasse a fazer sempre parte de suas fronteiras geográficas e emocionais.

E hoje neste dia tão especial, agradeço ao governo do Estado de Mato Grosso do Sul, nesta gestão do Dr. André Puccinelli, à Secretaria Estadual de Educação, que tem à frente a professora Nilene Badeca da Costa e à todos aqui presentes em nome de toda Família Peralta por esta homenagem que muito nos orgulha.
Obrigado.
JOSÉ FERNANDO PERALTA

-Tenho certeza que, se pudesse, o professor e meu amigo Fernando Peralta agradeceria ao governador André Puccinelli e à secretária de Estado de Educação, Maria Nilene Badeca da Costa por essa marcante oportunidade de se perpetuar junto aos professores e alunos do CEL, categorias que tanto amou e fez o que pode por elas em vida. Portanto, essa é uma justa homenagem a um professor e à sua classe. Assim, pelo carinho, zelo e amor que existiu entre o Fernando e a Zezé, sobretudo por sua esposa e filhos terem sido as colunas de sua sustentação e impulsionadores de seus sonhos, lhes dou hoje bom dia, o meu bom dia pra vocês.

(*) Ruy Sant’Anna e José Fernando Peralta, respectivamente, ornalista e advogado.

A bolha da saúde brasileira está prestes a explodir
A crise econômica e o crescente índice de desemprego da população brasileira refletiram diretamente no setor da saúde. Recente estudo revelou que mai...
Marchinhas do coração
Sei que existem as marchinhas preferidas do coração. São as do passado ou do presente, mas não é delas que quero falar, e, sim, do sofrido coração br...
Reforma da Previdência: aprofundando o deserto na vida dos trabalhadores
O cinema enquanto “sétima arte” muitas vezes busca retratar realidades cotidianas na telona. Não foi diferente o filme “Eu, Daniel Blake”, ganhador d...
O dilema das prisões brasileiras
No último mês de janeiro assistimos, estarrecidos, às rebeliões nos presídios de Manaus, Boa Vista e Natal. As cenas de corpos sem cabeças chocaram a...



Ruy Sant`Anna

Se falares da tua saudade, entenderei. Mas se escreveres sobre ela, sentiremos junto contigo.
Se a tristeza vier a te consumir e me contares, eu saberei. Mas se descreveres num papel, o seu peso será menor.

E assim são as palavras escritas: Possuem um magnetismo especial, libertam, acalentam, invocam emoções.
marcando momentos que serão eternamente revividos por todos aqueles que à lerem.
Use a palavra a todo instante, de todas as maneiras. Sua força é imensurável. Lembre-se sempre do poder de suas palavras.

Quem escreve constrói um castelo;
E quem lê passa a Habitá-lo...
Um grande abraço..
José Fernando Peralta
 
José Fernando Peralta em 12/11/2013 17:15:42
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions