A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 20 de Setembro de 2017

08/04/2013 13:16

O desafio da telemetria no campo

Dane Avanzi (*)

Muitas são as ferramentas de gestão e controle a disposição dos gestores do setor de bioenergia ligadas às rotinas de logística e agrícola em geral. No entanto, quando o assunto é transmissão de dados em tempo real em áreas de plantio, muitas variáveis devem ser consideradas para o sucesso da empreitada.

Recentemente vi um grande projeto naufragar devido a escolha da faixa de transmissão dos sinais ser inviável financeiramente para a propagação dos sinais. O fornecedor, sabiamente, deixou expresso no contrato que todos os custos de infraestrutura e construção de torres correriam por conta da contratante. Resultado, o contratante comprou um sistema sem saber quanto teria que investir para ver o sistema funcionando.

Infelizmente casos assim acontecem quando a implantação do sistema não é encarada como um projeto. Aspectos regulatórios, técnicos e logísticos são relegados ao segundo plano, fato que comumente acarreta enormes prejuízos e contratempos à empresa contratante.

A primeira coisa a se ter em mente nos projetos de transmissão de dados é que a propagação não é igual a sistemas de voz. Outros fatores relevantes para o correto dimensionamento de um projeto é a taxa de velocidade mínima que o sistema demanda, a topologia de rede para a eficiente coleta de dados e o conhecimento detalhado do perfil topográfico das áreas de interesse. A quantidade de terminais que transmitirão simultaneamente, além, obviamente, do interfaceamento desses dados com sistemas de informação e plataformas SAP ou Oracle estão ligadas ao bom funcionamento da rede.

Esse tipo de projeto é de extrema complexidade seja pelo grande número de variáveis, seja pela escalabilidade e flexibilidade do sistema de transmissão de se integrar a outros sistemas de informação de forma confiável e sustentável. Para que tudo corra bem, a definição de objetivos e premissas deve ser clara e o envolvimento da alta direção da empresa deve ser direto em todas as fases do projeto, desenvolvimento, implantação, testes e ativação.

É preciso ter consciência da envergadura do desafio e saber que o projeto exigirá um gerente preparado para destrinchar as prioridades, ordenar as tarefas, rastrear processos. Selecionar cuidadosamente recursos materiais e humanos é o primeiro passo para o sucesso da empreitada, que é multidisciplinar e necessitará do trabalho coordenado de várias áreas da engenharia.

Dane Avanzi (*) é advogado, empresário do Setor de Engenharia Civil, Elétrica e de Telecomunicações e Diretor Superintendente do Instituto Avanzi, ONG de defesa dos direitos do Consumidor de Telecomunicações

A regulamentação do Lobby no Bra
Desde 1989 o Projeto de Lei do Senado que propõe regular a atividade de Lobby no Congresso Nacional, PLS 203/89 de Marco Maciel (DEM- PE), está no Co...
Desarranjo planetário
Enfrentamos um desarranjo global na gestão pública. Os líderes se afastam da ideia de que são responsáveis por imprimir melhora geral na qualidade hu...
Tudo pelo cliente
Muitas pessoas me perguntam como é o meu dia a dia, como é administrar uma das marcas mais valiosas e admiradas do Brasil. Posso dizer, sem falsa mod...
OMC: a derrota anunciada
Não deixa de ser curioso que, num momento em que a Organização Mundial do Comércio (OMC), com sede em Genebra, é dirigida pelo diplomata brasileiro R...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions