A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 25 de Junho de 2018

08/09/2011 06:02

O uso do cheque como poder de consumo

Por Edson Monteiro (*)

O uso do cheque vem aumentando nos últimos anos, principal consequência disto é a preocupação dos consumidores com as altas taxas e juros dos cartões. Além disso, o cheque, por ser o meio de pagamento de crédito mais acessível a todas as classes sociais e ganha destaque como um dos principais motivos para o crescimento econômico no país.

Dentre as classes sociais, encontramos a C e D como as que mais utilizam esse meio de pagamento; isso acontece porque o cheque é o que oferece menos risco à população. Outro ponto é que estes consumidores em sua maioria não possuem cartões ou tem um limite igual ao valor de um salário mínimo, não possuindo crédito para efetuar grandes compras parceladas.

Por mais que a tecnologia avance e tenhamos cartões que ofereçam chips e códigos de segurança, a criminalidade também evolui e acompanha a tendência. O uso do cheque ainda oferece muitas vantagens que não encontramos nos cartões, como por exemplo:

- Todo dia é um bom dia para emissão de cheque; diferente do cartão de crédito, que limita um dia do mês para que a compra ou o pagamento caia na próxima fatura;

- É o meio com mais facilidade para pré-datar;

- Não possui limites;

- A taxa de serviço é menor que as praticadas pelos outros meios de pagamento;

- Não existe anuidade.

Com o maior espaço das classes médias na sociedade e no mercado de consumo, essa inserção social e as facilidades que o cheque apresenta permite que elas passem a ter esse poder de consumo, antes “exclusividade” das classes mais altas.

O que nós vemos no Brasil hoje é o aparecimento dessas novas classes sociais e com ele vem um consumo maior e uma facilidade nos meios de pagamento. Afinal, ninguém quer perder vendas. Ainda assim, por receio, muitos comerciantes não aceitam o cheque como forma de pagamento.

Está na hora do país entender que as novas classes sociais vieram para alavancar ainda mais a economia brasileira, mas para isso precisamos atualizar os meios de pagamento. A inadimplência existe com ou sem o cheque, temos que dar um voto de confiança para esses novos consumidores que estão aparecendo.

Dessa maneira a economia deslancha e damos a oportunidade para as novas classes se sentirem parte da sociedade de consumo.

(*) Edson Monteiro é diretor presidente da Rede Check OK.

A corda arrebenta para todos
Ao pensar na África, geralmente formamos imagens com exuberância de recursos naturais. Falta de água nos remeteria aos desertos daquele continente, e...
Os três pilares do aprendizado
A educação brasileira passa por um profundo processo de transformação com a implantação da nova Base Nacional Comum Curricular. Precisamos estar pron...
O país onde tudo é obrigatório
Nos Estados Unidos, na França e na Inglaterra, as regras ou são obedecidas ou não existem, por que nessas sociedades a lei não é feita para explorar ...
Universidade pública e fundos de investimento
  A universidade pública não é gratuita, mas mantida pelos recursos dos cidadãos. E por que a Constituição brasileira escolheu determinar esse tipo d...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions