ACOMPANHE-NOS    
MAIO, TERÇA  26    CAMPO GRANDE 12º

Cidades

Após susto, 1º caso suspeito de coronavírus em MS diz que coriza o deixou famoso

Rapaz de 24 anos diz que sempre soube não estar com a doença, descartada em exame cujo resultado saiu nesta 5ª

Por Marta Ferreira e Angela Kempfer | 05/03/2020 18:15
Gabriel Santana em uma das fotos postadas quando passou pela China. (Foto: Reprodução Instagram)
Gabriel Santana em uma das fotos postadas quando passou pela China. (Foto: Reprodução Instagram)

Histórias de viagem todo mundo tem. Algumas delas são contadas a vida toda. Aos 24 anos, Gabriel Santana, morador de Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul, já tem uma dessas. Depois de confirmar que não foi infectado pelo novo coronavírus durante passagem pela China no mês passado, ele brinca que essa será uma passagem para relatar aos netos: “o dia em que fiquei famoso por uma coriza”.

Gabriel foi o primeiro morador sul-mato-grossense a ser considerado “caso suspeito” para a doença, que colocou as autoridades de saúde em alerta em todo o mundo, após o surgimento na China. Por isso mesmo, a situação provocou, de certo modo, pânico. Era tudo muito novo.

A identificação dele vazou e, nas redes sociais, chegou a ser ofendido por pessoas questionando o motivo de ter ido parar na China. “ Eu fui com meu dinheiro, não incomodei ninguém, então não dei bola”, afirmou ao Campo Grande News depois da confirmação pelas autoridades de saúde de que ele não teve de fato a doença.

O jovem, produtor de vídeos, diz que para ele nunca houve dúvida de se tratar de resfriado, no máximo gripe. “Logo quando fui atendido disse e fui muito bem claro que eu não havia ido pra China como destino final, que passei por lá como conexão, e deixei muito claro que não tinha febre, eles mesmos se certificaram disso”, afirma. Apesar disso, relembra, o “laudo e as notícias saíram tudo ao contrário”.

De toda a situação, o rapaz reclama do comportamento de funcionários do Hospital Regional de Ponta Porã onde ficou internado. “Os funcionários, não todos, mas alguns, começaram a falar que ia entrar o hospital todo em quarentena. Que eu tinha corona sim. Que eu estava muito mal que isso e aquilo”, cita.

“Eles estavam preparados para receber a doença, mas não prepararam os funcionários”, reforça.

Gabriel comenta que, chegou, até, a ser acusado de brincar com algo sério. Segundo ele, em dado momento passou a fazer graça com a situação, e não com a doença, justamente por ter convicção de não ter sido contagiado pelo vírus.

“Muita gente acha que fiz isso por fama”, diz, para depois negar. “Eu trabalho com famosos há muito tempo, desde Jorge e Mateus a Di Ferrero, Sheila Carvalho e por aí vai”, observa.

“Sempre fui a pessoa por trás das câmeras, não a que fica na frente, tanto é que quando solicitam entrevistas eu evito ao máximo expor minha imagem porque não sou acostumado a isso e também não gosto muito”, assegura.

Gabriel viajou com dois amigos. Em duas semanas, passou pela China a caminho da Tailândia, na ida e na volda. Passou também pela Alemanha. Sentiu-se mal no dia 24 de fevereiro, teve a coleta de exames feita em 25 do mês passado. No dia 26, foram descartados pelos exames feito em Mato Grosso do Sul, oito tipos de vírus. Faltava o resultado sobre outros vírus respiratórios e o Covid 19, que saiu nesta quinta-feira (5).