ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, SÁBADO  04    CAMPO GRANDE 25º

Cidades

Busca ativa da vacinação permanece até Prosseguir poder acabar com restrições

Secretário Eduardo Riedel voltou a frisar que máscara será dispensada se números seguirem caindo

Por Adriel Mattos | 19/10/2021 19:49
Secretário de Infraestrutura participou do lançamento do programa MS +Esporte. (Foto: Kísie Ainoã)
Secretário de Infraestrutura participou do lançamento do programa MS +Esporte. (Foto: Kísie Ainoã)

O secretário de estado de Infraestrutura e presidente do comitê gestor do Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança da Economia), Eduardo Riedel, disse nesta terça-feira (19) que Mato Grosso do Sul seguirá investindo na busca ativa de quem ainda completou o ciclo ou nem sequer se vacinou contra a covid-19.

“Somos cautelosos e nossa bandeira é a vacinação. Vamos continuar a busca ativa junto com os municípios, essa é a única saída para o fim da pandemia”, disse durante o lançamento do programa “MS +Esporte”.

Recentemente, o governo liberou R$ 17,9 milhões em incentivos para a saúde, como forma de ampliar os esforços da busca ativa nas cidades.

“Não é mais questão de recurso, é uma questão de consciência. Temos falado reiteradamente para todos que não se vacinaram que venham se vacinar. Há pessoas resistentes, que não acreditam ou têm receio, mas temos que continuar insistindo e trabalhando para essas pessoas se vacinarem e não continuarem em risco”, ponderou o secretário.

Na última avaliação de risco do Prosseguir, Riedel adiantou que o uso de máscara pode ser desobrigado nas próximas semanas. Hoje, ele reiterou que isso está condicionado aos números da pandemia continuarem em queda.

“Tem estado atrás de nós na imunização e liberando máscara, mas respeitamos. No esporte, por exemplo, está ao ar livre, mas em uma aglomeração ainda é importante manter essa cautela. Na medida que avançamos com menos casos e óbitos, todo mundo se sente mais confortável. A vida está voltando ao normal, mas a máscara ainda é instrumento de proteção e por isso ainda não a liberamos. Mas vamos continuar monitorando os números”, explicou.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário