ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SÁBADO  15    CAMPO GRANDE 28º

Cidades

Campo Grande e 16 cidades vão anunciar novas medidas restritivas nesta quarta

Microrregião é a que mais preocupa as autoridades neste momento, por causa do avanço dos casos de covid-19

Por Marta Ferreira | 14/07/2020 09:50
Fila para teste do novo coronavírus em Campo Grande, que anuncia amanhã novas medidas de restrição de circulação. (Foto: Arquivo/Campo Grande News)
Fila para teste do novo coronavírus em Campo Grande, que anuncia amanhã novas medidas de restrição de circulação. (Foto: Arquivo/Campo Grande News)

A prefeitura de Campo Grande anuncia nesta quarta-feira (15), nova medida restrititiva para tentar conter o avanço do novo coronavírus. Mas não será ainda o lockdown, como é chamado o fechamento de quase todos os setores, e manutenção da circulação só de trabalhadores dos serviços essenciais, como saúde e segurança.

Conforme o Campo Grande News apurou, essa medida anterior ao bloqueio total está em análise, com a consulta às equipes de saúde e ainda do setor jurídico. A intenção é anunciar junto com providências a serem adotadas em mais 16 cidades, vizinhas à Capital, que fazem parte da   microrregião geográfica de Campo Grande.

Indagado sobre o que será adotado, o secretário de saúde Geraldo Resende, que no fim de semana defendeu medidas mais duras para conter o avanço do vírus, disse que a orientação aos prefeitos é para se organizarem no sentido reduzir a circulação de pessoas.

São regras, segundo ele, capazes de manter os serviços essenciais e restringindo o funcionamento dos que não são a um percentual próximo de 30% da capacidade.

O que for adotado para essa microrregião, onde estão a maior parte de vagas de terapia intensiva no Estado, e onde está o epicentro da doença no momento, deve ser estendido a outras regiões, disse o secretário.

De acordo com ele, as decisões estão a cargo dos 17 prefeitos.

Uma morte a cada 8h - Desde a semana passada, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) vem alertando que as pessoas não estão obedecendo as regras impostas, incluindo o toque de recolher das 20h às 5h.

A cidade tem mais de 4,7 mil casos da doença e, em 15 dias, teve 42 óbitos, um a cada oito horas.

O prefeito Marquinhos Trad chegou a falar, por duas vezes, que o lockdown seria a próxima alternativa.

A medida é mal vista por representantes do empresariado, que já estão sob efeitos da crise econômica desde março. Conforme levantado, diante do quadro em geral, a opção a ser adotada é um degrau antes da solução mais drástica. Na prática, seria um retorno ao que já foi adotado em março, com fechamento do comércio.

A obrigação de usar máscara em qualquer lugar público vai continuar, mas ainda não foi estabelecido protocolo para multar as pessoas, embora isso esteja previsto em legislações.

Os anúncios, tanto por Campo Grande, quanto pelo governo do Estado, estão previstos para as lives a serem feitas nesta quarta-feira sobre o combate à pandemia de novo coronavírus. O Estado faz sua transmissão pela manhã, às 10h30, e o prefeito da Capital costuma não ter horário fixo.