ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SEXTA  27    CAMPO GRANDE 29º

Cidades

Com apelo por "obrigatoriedade da vacina", MS chega a 1,5 mil mortes pela covid

Diante de polêmica sobre obrigar ou não a vacinação, secretário diz que em MS a imunização será regra

Por Guilherme Correia | 20/10/2020 11:09
Foto ilustrativa da vacina Coronavac, feita pela China, contra Covid-19 (Foto: Divulgação)
Foto ilustrativa da vacina Coronavac, feita pela China, contra Covid-19 (Foto: Divulgação)

O boletim epidemiológico desta terça-feira (20) traz mais 15 mortes por covid-19 em Mato Grosso do Sul, número bem mais expressivo que as quatro mortes contabilizadas ontem (19). Além disso, com 453 novos infectados, são 77.943 casos confirmados da doença no Estado desde o início da pandemia.

O titular da SES (Secretaria Estadual de Saúde), Geraldo Resende aproveitou a live nas redes sociais para reforçar a posição do Governo do Estado no que diz respeito ao "uso compulsório da vacina". "É a indicação que vou fazer ao Governo. Obrigatoriedade da vacina [...] é um bem da humanidade e tem que ser compartilhada. Ela tem que ser feita em todos", preconizou.

A declaração veio em resposta a polêmica do momento.  Ontem, o presidente Jair Bolsonaro disse que a vacinação contra a Covid-19 não será obrigatória.  O governo federal poderia obrigar, mas o presidente afirmou que decisão já está tomada.

Mato Grosso do Sul abriu na semana passada o cadastro  de profissionais da saúde ou que trabalham em área de grande circulação da covid-19 para oprograma de voluntariado que vai testar em Mato Grosso do Sul a Coronavac, vacina chinesa contra o novo coronavírus.

Boletim atualizado - Dos novos registros de mortes, nove ocorreram em Campo Grande, dois em Três Lagoas, além de Cassilândia (1), Dourados (1), Naviraí (1) e Nova Andradina (1). As vítimas tinham entre 31 e 94 anos. Grande parte (72.240) das pessoas que contraíram a covid se recuperaram da doença.

Com o registro mais recente, a média móvel de mortes foi elevada para 9 por dia, contabilizando registros da última semana. Ontem a média era de 8,14. A previsão é de que, ainda nesta semana, o Estado se aproxime de 80 mil casos confirmados da doença.

Por fim, atualmente, 303 pacientes ocupam leitos clínicos e 159 de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) - número que já chegou a 550. Além disso, cinco pacientes também estão em unidades de saúde de Mato Grosso do Sul, mas por serem de outros estados do Brasil, não entram na contagem.

Geraldo Resende também relatou que municípios do Estado têm 3.240 casos "sem encerramento", que podem vir a ser registrados como novos casos confirmados ou novos óbitos. "É necessária contribuição dos secretários e secretárias municipais de saúde será fundamental para que a gente continue num patamar de transparência", apela.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário