ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 31º

Cidades

Contágio volta a diminuir no Estado, mas MS registra 15 mortes por covid em 24h

Uma das vítimas estava fora do grupo de risco, um homem, de 38 anos e que não tinha comorbidades relatadas

Por Guilherme Correia | 14/10/2020 13:03
Funeral sendo realizado em Campo Grande, respeitando medidas de biossegurança impostas pela covid-19 (Foto: Kisie Ainoã/Arquivo)
Funeral sendo realizado em Campo Grande, respeitando medidas de biossegurança impostas pela covid-19 (Foto: Kisie Ainoã/Arquivo)

Durante live do boletim epidemiológico desta quarta-feira (14), foi dito que a taxa de contágio teve nova redução, agora em 0.95, o que indica um possível decréscimo nos próximos dias na “curva” da pandemia. Apesar disso, 15 novas mortes foram registradas nas últimas 24 horas e Mato Grosso do Sul totaliza 1.464 óbitos.

Campo Grande foi responsável por quatro das mortes registradas no Estado. As demais 11 foram no interior - uma em cada um dos municípios de Anastácio, Aparecida do Taboado, Camapuã, Corumbá, Ladário, Miranda, Paranaíba, Ponta Porã, Rio Brilhante, Sidrolândia e Taquarussu.

Apenas uma das vítimas não tinha comorbidades relatadas à Saúde, trata-se de um homem de apenas 38 anos. As demais tinham complicações e eram do “grupo de risco”.

Mesmo assim, devido à morosidade no repasse de informações epidemiológicas, que partem das unidades de saúde para secretarias municipais para então serem compiladas pela SES (Secretaria Estadual de Saúde), que divulga boletim diariamente, há óbitos que aconteceram nos últimos quatro dias, mas só entraram na contagem hoje. Uma exceção, inclusive, é um falecimento que ocorreu em 2 de outubro e só foi apurado precisamente agora.

Taxa de contágio - Quando esse índice está inferior a 1, indica um declínio na quantidade de pessoas que serão infectadas pelo vírus no dia seguinte. A taxa, quando esteve acima do recomendado, indicava que cada vez mais pessoas de Mato Grosso do Sul contraíram a doença.

Atualmente, por estar em 0.95, a previsão da SES é que haja redução na quantidade de pessoas que se infectam pelo novo coronavírus. Apesar disso, impactos do feriadão só poderão ser sentidos em pelo menos 14 dias, quando a virose se desenvolver no organismo das pessoas que tiveram contato.

O secretário Estadual de Saúde, Geraldo Resende, alertou para a possibilidade de um novo aumento nos casos e torce para que "daqui 15, 20 dias não tenhamos de fato como aconteceram em outros estados e países, as 'ondas de crescimento'".

Aguardar com expectativa o resultado desse feriado prolongado. Muitas festas, muitas aglomerações, muita gente não utilizando máscara e deixando de praticar as regras mais simples de higiene, tanto preconizadas nesses tempos da pandemia", alerta Resende.

Ao reforçar que a taxa de letalidade permanece em 1,9%, o que indica que, quase uma em cada 50 pessoas com a doença não resistem à mesma, a secretária adjunta da pasta, Christine Maymone recomenda “dizer ‘não’ às aglomerações" e espera que a vacina "possa alimentar um pouco nossas almas para não perdermos mais nenhum sul-mato-grossense”.

Atualmente, a média móvel de novas mortes diárias está em 11,3 - estimativa média de pessoas que morrem no Estado por dia. Além disso, 381 pacientes estão em internação - 200 em leitos de UTI (unidade de terapia intensiva) e 182 em leitos clínicos (que abrigam apenas um morador de outro estado).

Nos siga no Google Notícias
Confira a Galeria de Imagens:
Regras de comentário