A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Outubro de 2019

06/08/2019 19:11

Depois de 15 anos, Cassems rompe com cooperativa de especialistas

Plano de saúde contratou corpo próprio de otorrinolaringologistas para atender os segurados

Marta Ferreira
Profissionais vão atender nos ambulatórios da Cassems. (Foto: Arquivo)Profissionais vão atender nos ambulatórios da Cassems. (Foto: Arquivo)

Depois de 15 anos, a Cassems, plano de saúde dos servidores estaduais de Mato Grosso do Sul, rompeu contrato com a cooperativa que reúne médicos otorrinolaringologistas no Estado e decidiu criar corpo próprio de profissionais. Os 53 especialistas do grupo, 36 na Capital e 17 no interior, só atendem até o dia 21 de agosto, segundo comunicado feito à população, em que lamentam a decisão da Cassems.

O motivo principal é a economia nos gastos. A Cassems afirma que a despesa mensal, antes começou em meio milhão, ao longo dos últimos anos atingiu R$ 1 milhão e por isso decidiu pela mudança. Não foi informado o quanto vai ser reduzido em valor.

A Cooperativa dos Otorrinolaringologistas de Mato Grosso do Sul informou valores diferentes para o Campo Grande News. Disse que a despesa era de R$ 850 mil e que aceitou baixar para RF$ 650 mil, mas a resposta da Cassems foi negativa.

No comunicado, endereçado aos segurados da Cassems, a cooperativa atribui a decisão foi do Conselho Administrativo do plano de saúde e se afirma “aberta a futuras negociações”.

A administradora da entidade, Alicy Cristina Belei, disse à reportagem que existe uma preocupação com a qualidade do atendimento, pois os médicos que estão deixando de atender já o fazem há muitos anos. “Tem médico que é da família já”, comentou.

De acordo com ela, existe, ainda, um temor de que, com a nova contratação, nem todos os procedimentos sejam cobertos. A Cassems afirma que estudo sobre as demandas de procedimentos da especialidade. “Os atendimentos continuam sem prejuízo de assistência à saúde e cobertura de acordo com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)”, garante.

Conforme a informação prestada ao Campo Grande News, com a mudança, haverá uma equipe médica dando suporte nos Hospitais Cassems em casos de emergências de Otorrinolaringologia. “Ninguém vai ser subtraído em nenhum direito, em nenhum exame”.

Os especialistas do corpo próprio, ainda segundo a Cassems, “em sua totalidade, estão regularmente registrados no Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso do Sul”.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions