ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUARTA  29    CAMPO GRANDE 16º

Cidades

Doações de leite crescem no começo do ano, mas estoques seguem insuficientes

Neste Dia Internacional do Aleitamento Materno, autoridades de saúde reforçam necessidade em doar o alimento

Por Guilherme Correia | 19/05/2022 11:19
Locais de armazenamento de leite materno no Hospital Universitário, em Campo Grande. (Foto: Divulgação)
Locais de armazenamento de leite materno no Hospital Universitário, em Campo Grande. (Foto: Divulgação)

Ainda que o período de frio traga preocupação na quantidade de doações de leite materno no Estado, a parcial de 2022 – até o mês de abril – foi a maior dos últimos cinco anos. Levantamento do Campo Grande News, com base em dados da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), indica que houve crescimento nas quatro unidades de Campo Grande.

Contudo, a quantidade ainda é insuficiente. A Santa Casa de Campo Grande, por exemplo, precisa de quatro litros de leite humano por dia para alimentar cerca de 20 bebês prematuros, mas tem garantido apenas três litros.

Segundo o Ministério da Saúde, houve aumento de 7% no volume de doações em 2021, em todo País, na comparação com o ano de 2020. No entanto, o quantitativo representa apenas 55% da real necessidade por leite humano no Brasil.

Na Capital, recebem o alimento também a Maternidade Cândido Mariano, o HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul) e o Humap (Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian).

Conforme reportado ontem, o Banco de Leite Humano da Santa Casa já tem mais doadoras cadastradas, mas com a chegada do frio, o ritmo de coleta já diminuiu e consequentemente, a oferta do leite.

O hospital avalia que as mulheres ficam sem disposição para realizar todo o processo de coleta quando ocorrem as temperaturas mais baixas e, por isso, o banco quer chamar atenção das mães que produzem leite em excesso para fazerem as doações neste período.

Somente no mês de fevereiro, 2019 teve melhor indicador, 360 litros, na comparação com mesmo período de 2022, quando foram 303 litros. Além disso, abril de 2020 foi melhor que o mesmo mês deste ano, que teve 375,1 litros. Foram 432,7 litros naquele período.

Em março, o Humap chegou a registrar baixo índice no estoque, o que motivou ação em caráter de urgência.

Campanha - Nesta quinta-feira, 19 de maio, está marcado o Dia Internacional do Aleitamento Materno, o que provocou medidas educativas por parte de servidores municipais de saúde da Capital, conforme a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde).

Além disso, o Ministério da Saúde lançou a Campanha Nacional de Doação de Leite Humano do ano de 2022, com o tema “Doe leite materno e receba a gratidão de uma vida”, como forma de incentivar o aumento de mães voluntárias em todo País.

Estimativa da pasta mostra que cerca de 340 mil bebês brasileiros prematuros ou de baixo peso nascem no País por ano, o que corresponde a 12% do total de nascidos vivos.

Conforme a OMS (Organização Mundial da Saúde) e Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), cerca de 6 milhões de vidas são salvas por ano devido ao aumento das taxas de amamentação até o sexto mês de vida. Toda mulher que amamenta é uma possível doadora de leite materno, basta estar saudável e não tomar nenhum medicamento que interfira na amamentação.

Doação - A lactante que não deseja sair casa pode coletar o leite em um recipiente de vidro esterilizado e com tampa de plástico, armazenar no congelador por até 15 dias e entrar em contato o hospital que a equipe vai até na casa da doadora buscar o alimento tão necessário para os bebês.

Outra informação importante é que a Santa Casa desenvolve um trabalho para auxiliar as mães que desejam fazer doação, com profissionais qualificados para orientar em todas as etapas, de extração e armazenamento. O local pode ser contatado por meio do telefone (67) 3322-4174.

As doadoras podem entrar em contato com o Hospital Universitário por meio do (67) 3345-3027 ou no WhatsApp (67) 99154-2730, para que uma equipe vá ao endereço para fazer a retirada.

Nos siga no Google Notícias