ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, TERÇA  20    CAMPO GRANDE 22º

Cidades

Pesquisa mostra que só 22% em MS cumpriram isolamento com rigor

Deste percentual, maioria é mulher; elas respeitaram muito mais as orientações do que os homens

Por Gabriel Neris | 23/09/2020 12:11
Fiscal mede temperatura de homem na Capital (Foto: Marcos Maluf/Arquivo)
Fiscal mede temperatura de homem na Capital (Foto: Marcos Maluf/Arquivo)

Pesquisa aponta que somente 22,1% da população ficaram rigorosamente isolados em Mato Grosso do Sul. Outros 1,5% reconheceram não tomar qualquer medida de restrição, 38,3% reduziram o contato, mas continuaram saindo de casa, e 37,1% ficaram em casa e saíam apenas em caso de necessidade básica.

Nesse quesito, as mulheres foram a que mais respeitaram as orientações de isolamento, 42.5% delas ficaram em casa, contrra 31,7% dos homens.

Os números fazem parte da PNAD (Pesquisa por Amostra de Domicílio) Covid-19, divulgados nesta quarta-feira (23) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Entre os Estados, Mato Grosso do Sul foi somente o 10º no ranking em que a população residente cumpriu as restrições de isolamento.

Pelo menos 99 mil sul-mato-grossenses passaram pelo teste swab nasal e oral, para identificação da covid-19, até agosto. Destes, 18,7% receberam resultado positivo para a doença, enquanto 75,8% não estavam contaminados e outros 5,4% ainda não haviam recebido o resultado do exame.

A pesquisa também aponta que 104 mil pessoas realizaram o exame de sangue com furo no dedo. Tiveram resultado negativo 85,9%, enquanto 13,3% apresentaram positivo para a doença. Somente 0,7% não tinham recebido o resultado.

No Estado, 8 mil pessoas que testaram positivo apresentaram alguma doença crônica. Dentre aqueles que passaram por testes, 20,7% não tinham instrução ou fundamental incompleto; 37,3% disseram ter ensino médio completo ou superior incompleto e 29,7% tinham ensino superior completo ou pós-graduação.

Em Mato Grosso do Sul, 143 mil pessoas apresentaram algum dos sintomas de gripe até julho. Dentre eles, 36 mil procuraram atendimento em unidade de saúde.

Ocupação – Dos 1,2 milhão de ocupados em agosto, 30 mil (2,5%) estavam afastados do trabalho devido ao distanciamento social, menor índice do País (confira o ranking abaixo).

(Foto: Reprodução/IBGE)
(Foto: Reprodução/IBGE)

O total de pessoas desocupadas se manteve em 134 mil, com taxa de 10,1%, mesmo percentual de julho. O Estado tem a menor taxa do país. A pesquisa ainda mostra que 392 mil pessoas estão ocupadas, mas na informalidade, um aumento de 3,1% em relação a julho.

O rendimento médio real cresceu de R$ 2.088 mil para R$ 2.183 mil, aumento de 4,5%. Já o rendimento médio per capta por domicílios subiu para R$ 1.340, sétimo maior do Brasil.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário