ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUARTA  29    CAMPO GRANDE 16º

Cidades

Governo de MS descarta novas medidas de restrições para conter covid e gripe

Último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde apontou 1.307 novos casos de covid

Por Adriel Mattos e Gabriela Couto | 10/01/2022 11:05
Secretários Geraldo Resende e Eduardo Riedel durante entrevista coletiva. (Foto: Gabriela Couto)
Secretários Geraldo Resende e Eduardo Riedel durante entrevista coletiva. (Foto: Gabriela Couto)

O comitê gestor do Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança da Economia), do governo de Mato Grosso do Sul, descartou novas medidas restritivas para conter o novo pico da pandemia de covid-19 e a epidemia de gripe (Influenza “A” H3N2). Em menos de um mês, 12 pessoas morreram por H3N2.

A estratégia será investir em campanhas que aumentem a adesão à vacinação e testagem. Está mantido o retorno 100% presencial das aulas da Rede Estadual de Ensino.

“O momento agora é de cuidado e testagem. A população relaxou e este é o resultado. Não é o momento de restrições até porque não há um alto número de internações”, justificou o presidente do comitê gestor do Prosseguir, secretário de Estado de Infraestrutura, Eduardo Riedel.

O secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, citou que ainda há muitas pessoas com o calendário vacinal atrasado. “Vamos fazer uma campanha de mídia muito forte para que as pessoas se vacinem. Ainda há quem não buscou a segunda dose da vacina da Janssen.

Resende disse que negocia com a Cassems (Caixa de Assistência dos Servidores de MS) a abertura de um drive-thru de testagem na Capital e a aquisição de exames para gripe.

“Não trabalhamos com a perspectiva de não retorno das aulas. Se possível, vamos levar a vacina para crianças às escolas”, concluiu.

Situação – Mais cedo, Resende afirmou que o governo estuda reabrir os drive-thru de testagem. “Estamos tendo um aumento do número de casos de covid-19 e junto a isso, uma epidemia de influenza. Então, os nossos esforços estão redobrados, são 80 mil testes entregues aos municípios, desde ontem. Vamos aumentar o número de testes, isolar os positivados e monitorar os que tiveram contato”, disse.

Ribas do Rio Pardo, cidade no leste do Estado, a 98 km da Capital, decretou toque de recolher das 22h às 5h, de segunda a sexta e de 23h às 5h, nos fins de semana.

Já o prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), descartou a possibilidade. “Não há motivos para toque de recolher e muito menos lockdown. A partir de segunda-feira (10), reiniciaremos desinfecção e descontaminação em todos os terminais”, anunciou na sexta-feira (7).

O boletim epidemiológico divulgado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde) hoje apontou 1.306 novos casos de covid-19, totalizando 385,5 mil desde março de 2020. Com mais uma morte, o Estado acumula 9.743 óbitos. Desde 21 de dezembro, 12 sul-mato-grossenses morreram de gripe.

Mato Grosso do Sul registrou a maior média diária de casos de covid-19 dos últimos 178 dias, o equivalente a cinco meses e 28 dias. O índice atual é de 702 infecções por coronavírus a cada 24 horas. É o maior número desde 15 de julho do ano passado, quando havia cerca de 730 casos por dia, conforme levantamento do Campo Grande News.

Em um período de quase 10 dias, entre 31 de dezembro - 111,7 casos por dia - e o verificado hoje, houve um crescimento de quase sete vezes no número de registros.

Nos siga no Google Notícias