ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  23    CAMPO GRANDE 28º

Cidades

"Nem SP, RJ ou Miami, não tem pra onde ir atrás de UTI", alerta Geraldo

Cenário é crítico que nem dinheiro pode levar paciente com covid-19 a ter vaga em UTI em MS, SP ou RJ

Por Paula Maciulevicius Brasil | 09/03/2021 12:15
Todos os 118 leitos de UTI para covid do Hospital Regional estão ocupados nesta terça. (Foto Divulgação)
Todos os 118 leitos de UTI para covid do Hospital Regional estão ocupados nesta terça. (Foto Divulgação)

Dinheiro não compra vaga em UTI. Foi este o recado passado na manhã de hoje pelo secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, ao falar do colapso que a saúde no Estado está prestes a entrar. Com número recorde de internações por covid-19 e fila de espera para vaga em UTI e até em enfermaria, Geraldo diz que "não tem para onde correr".

"Não adianta mandar pra São Paulo quem tem dinheiro, porque não tem vaga em São Paulo. Quem é milionário, não tem vaga em Miami. Não tem como ir para o Rio de Janeiro, não tem vaga nem em rede pública nem em rede privada. Não tem pra onde correr".

O secretário praticamente desenha a realidade de UTI's de covid-19 em todo País. Em Mato Grosso do Sul, até a manhã de hoje tinham seis pessoas aguardando para ir para a unidade de terapia intensiva e um paciente para enfermaria. Todos com covid-19.

Geraldo Resende em live nesta terça-feira (9) anunciou internação recorde de pacientes por covid-19. (Foto: Reprodução/Facebook)
Geraldo Resende em live nesta terça-feira (9) anunciou internação recorde de pacientes por covid-19. (Foto: Reprodução/Facebook)

Recorde de internações - Em menos de uma semana, o Estado quebrou recorde de internados pela terceira vez. Nas últimas 24h foram 725 pacientes hospitalizados por conta do coronavírus em hospitais públicos e privados.

"Vivemos o pior cenário da epidemia no País e no Mato Grosso do Sul. Hoje atingimos o topo, durante todo o início da pandemia, em internações hospitalares. Temos 725 sul-mato-grossenses internados", reforçou Geraldo Resende.

No boletim de hoje, a Secretaria Estadual de Saúde também informou que, são 22 óbitos registrados apenas nas últimas 24 horas, o que eleva o total de mortes para quase 3,5 mil, além de 884 infectados. Na última semana, a média tem sido de 20,1 mortes por dia.

Contrariando as recomendações do próprio secretário estadual, que pedia que o Governo do Estado adotasse medidas mais rígidas e decretasse o toque de recolher para 20h, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) só anunciou que as aulas da rede estadual serão todas remotas, sem mais presença dos alunos nas escolas no esquema de sistema híbrido.

Samu devolve macas da UTI aérea de Rondônia após deixar pacientes no HR (Hospital Regional) no fim de janeiro, quando pacientes de fora eram trazidos para o Estado (Foto: Paulo Francis)
Samu devolve macas da UTI aérea de Rondônia após deixar pacientes no HR (Hospital Regional) no fim de janeiro, quando pacientes de fora eram trazidos para o Estado (Foto: Paulo Francis)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário